Um dos maiores sucessos do gênero world music de todos os tempos, o CD Buena vista social club, lançado em 1996, pela gravadora inglesa World Circuit, volta a ser encontrado nas prateleiras de lojas no Brasil. A obra acaba de ser relançada, em nova edição, pela gravadora brasileira MCD, que tem sede em São Paulo.

“O Buena vista social club foi lançado em um estúdio de Havana (Cuba) e se tornou o disco de world music mais vendido de toda história, com oito milhões de cópias. A obra ficou indisponível no Brasil por vários anos e agora volta com uma edição de luxo. Negociamos quase um ano com a World Circuit para poder relançar o CD por aqui”, comenta o presidente da MCD, Eduardo Muszkat.

A obra está sendo relançada em seu formato original, estando acompanhada por um libreto com 48 páginas traduzido para o português. Este traz a tradução e história de criação da música, além de outras informações bastante interessantes aos apreciadores de world music. “Buena vista social club contém um catálogo de músicas que são para sempre. Elas nunca deixaram de ser atuais”, diz.

O CD foi produzido pelo americano Ry Cooder, considerado um dos mais completos guitarristas da música popular internacional, e divulgou para o mundo grandes artistas veteranos da música cubana, como Ibrahim Ferrer (cujo CD Mi sueño também foi lançado pela MCD), Compay Segundo, Rubén González, Eliades Ochoa e Omara Portuondo (também responsável pelo álbum Flor de amor).

Com preço sugerido de R$ 32,90, a obra contém quatorze faixas: Chan chan, El carretero e El cuarto de tula, por Eliades Ochoa; De camino a la vereda, Candela, Murmullo e Dos gardenias, por Ibrahim Ferrer; Pueblo nuevo e Buena vista social club, por Rubén Gonzáles; Y tú qué has?, Orgullecida e Amor de loca juventud, por Compay Segundo; Veinte años, por Omara Portuondo; e La bayamesa, por Manuel “Puntillita” Licea.