May the Force be with you. A clássica frase de um dos maiores clássicos do cinema está de volta. Star Wars III – A Vingança dos Sith vem para matar a sede dos starwarsmaníacos em saber como se formou um dos maiores vilões da história do cinema: o famigerado Darth Vader. Se nos episódios I (A Ameaça Fantasma) e II (O Ataque dos Clones) George Lucas optou por privilegiar os efeitos em detrimento da história e do roteiro, em A Vingança dos Sith a coisa muda um pouco de figura: além de seus mirabolantes e sensacionais efeitos visuais, agora há uma história que justifica a presença do espectador até o final, talvez até torcendo por algo impossível, como, por exemplo, que Anakin Skywalker não seja seduzido pelo lado negro da Força (claro que se isso acontecesse, não teríamos as seqüências, mas que você fica na torcida, fica). Um ponto a ser destacado é a ação desenfreada do filme. Do início ao desfecho, somos bombardeados com mais e mais lutas de jedis contra siths, batalhas espaciais e ?tiroteios? (ainda não consegui pensar num sinônimo para uma guerra cujas armas são de laser… se alguém souber, por favor avise-me!). Mas não pense que o filme é só pancadaria e demonstração explícita de pontapés, socos e testosterona à flor da pele. O humor, que está bem presente nos episódios IV, V e VI, também dá as caras e garante boas risadas, principalmente como o simpático robô R2D2, bem como os momentos mais dramáticos, que, nesse ponto, ficaram devendo um pouco, mas sem comprometer a obra. Também merece destaque um dos vilões do filme, o mezzo humano, mezzo máquina general Grievous. Com sua aparência grotesca, uma tosse carregada e um sotaque que lembra muito do Leste Europeu (seria isso proposital?) o personagem rende bons momentos na tela, principalmente no combate contra Obi-Wan Kenobi. O grande barato do filme é justamente a transformação do homem que era Anakin Skywalker e que passou a se chamar Darth Vader. Todo o ?envenenamento? do jovem jedi, feito pelo chanceler Palpatine, vai lentamente corrompendo Skywalker, culminando quando, após uma batalha mortal contra seu mestre Obi-Wan, ele é envolto em sua armadura e seu famoso elmo negro. Todavia, o motivo principal para a passagem para o lado negro da Força é que surpreende.

Lógico, não irei dar com a língua nos dentes (ou dedos no teclados se preferirem) e deixarei para que vocês vejam e se surpreendam com a ?mudança de ares? por parte de Skywalker. A Vingança dos Sith encerra com chave de ouro a primeira parte da trilogia Star Wars. Resta saber se a franquia encerra aqui ou se o futuro reserva algo. Vindo de Hollywood e de George Lucas, tudo é possível.