Em 1973, os artistas experimentais se comunicavam no futuro do pretérito, como se estivessem falando de formas ainda não inventadas de uma perspectiva histórica do já ocorrido. Era a época dos filmes em super- 8 e 16 mm, dos audiovisuais montados com diapositivos, de performances registradas de forma precária e obras conceituais que usavam a tecnologia disponível na ocasião (xerox, off-set), antes do advento do vídeo e do computador.

Visionária, a crítica Aracy Amaral organizou, então, uma mostra pioneira desses trabalhos, reunindo jovens artistas (hoje internacionalmente reconhecidos) nessa Expoprojeção 73, montada no histórico Grife (Grupo de Realizadores Independentes de Filmes Experimentais), criado por Abrão Berman. É essa mesma mostra que o Sesc Pinheiros abre nesta quarta-feira, 23, rebatizada de Expoprojeção 1973-2013, com uma palestra inaugural, nesta terça, 22, às 19 horas, da curadora de mídia do MoMA de Nova York, Barbara London.

Há 40 anos, quando a mostra original foi montada, alguns dos artistas participantes estavam morando fora do País, autoexilados como Hélio Oiticica (em Nova York) e Antonio Dias (em Milão). A crítica Aracy Amaral se correspondia com os dois. Foi por meio deles que descobriu outros pioneiros das novas mídias, como o mineiro Raymundo Colares (1944-1986), autor de filmes provocadores em super-8, como Gotham City e Trajetórias (1972), que ela guardou todos esses anos em sua casa.

Outros trabalhos tiveram menos sorte, como os de Hélio Oiticica (1937-1980) e do fotógrafo Miguel Rio Branco. Neyrótica (1973), realizado pelo primeiro, está em fase de restauro e não será exibido. A obra de Rio Branco foi extraviada. Em todo caso, ainda restam 42 dos originais, entre eles obras de Anna Bella Geiger, Ana Maria Maiolino, Antonio Dias, Antonio Manuel, Cildo Meireles e Lygia Pape, todos com carreira internacional.

EXPOPROJEÇÃO – Sesc Pinheiros. R. Paes Leme, 195. De 3ª a 6ª, das 10h30 às 21h30; sábado e domingo, até 18h30. Grátis. Até 12/01.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.