Astros, estrelas, números musicais, elogios, aplausos e piadas sem graça pifiamente traduzidas já são uma tradição na longa cerimônia do Oscar. Este ano não vai ser diferente. A festa do 75º Academy Awards acontece neste dia 23 de março no Kodak Theater, em Los Angeles, e será transmitida ao vivo pelo SBT, a partir das 22 h. Lá, o mestre de cerimônias será o ator cômico Steve Martin. Aqui, os comentários ficam a cargo do crítico de cinema Rubens Ewald Filho e da jornalista Marília Gabriela -que encerra, com o evento, a sua temporada na emissora.

“Para não ficar muito cansativo, vamos interferir o menos possível”, avisa Rubens Ewald. Já Marília Gabriela -insatisfeita com o SBT, que não vai renovar seu contrato -se recusa a comentar o assunto.

Este ano a disputa ficou bem distribuída e, segundo Rubens Ewald, pode não haver um único grande vencedor. De um lado, com 13 indicações, está “Chicago”, de Rob Marshall. Um musical sobre duas assassinas que fazem de tudo para vencer no showbiz, nos anos 20. Do outro, com 10 indicações, desponta “Gangues de Nova York”, de Martin Scorsese. Um épico sobre os grupos que infernizaram e construíram a “Big Apple”. No meio, com 9 indicações, fica “As Horas”, de Alexander Payne. Um drama sensível sobre três mulheres em épocas e mundos distintos.

“Este é um ano marcado pela diversidade de gêneros e assuntos. Temos histórias díspares, que vão do holocausto aos cabarés americanos. Mas não acredito em muitas surpresas”, diz Rubens Ewald, que há 20 anos comenta as transmissões do Oscar pela tevê. Mas sempre pesquisa a vida dos astros do cinema para não cometer nenhuma gafe. “Assim fica até mais fácil de puxar pela memória”, ensina.

Quatro horas

A previsão é que a cerimônia – com tradução simultânea no SBT – tenha cerca de quatro horas de duração. Por isso mesmo, o Oscar é considerado um evento para “iniciados” na “sétima arte”. “É coisa para cinéfilo ou desocupado. Uma pessoa normal não aguenta tanto tempo na poltrona”, garante um bem-humorado José Wilker. Como este ano o Telecine Premium, da Globosat, não comprou os direitos de transmissão do Oscar, o ator só comentará o evento no dia 24, às 20 h, no “chat” do canal – www.telecine.com.br. Mas, assim como Rubens Ewald, Wilker não acredita em surpresas. “A Academia tenta se dar um verniz ?moderno?, indicando produções originais como ?O Piano? e ?O Senhor dos Anéis?. Mas, na verdade, só ?Chicago? e ?Gangues…? estão no páreo para melhor filme”, alfineta.

Barbadas

De fato, alguns indicados são apontados como “barbadas” pelos especialistas. Como os atores Jack Nicholson e Nicole Kidman, nas categorias melhor ator e atriz. Se ganhar, Nicholson vai levar para casa sua quarta estatueta. Ele já é o recordista em indicações na categoria: concorreu 12 vezes. Já Nicole nunca ganhou um Oscar e foi considerada “injustiçada” no ano passado. Na categoria melhor atriz coadjuvante, a atriz Meryl Streep recebeu sua 13.ª indicação.