Friedrich Hölderlin (1770-1843), considerado por muitos um dos maiores poetas alemães de todos os tempos, é o autor de Hipérion, um lançamento da Nova Alexandria, com tradução de Erion Paschoal. A obra é um romance epistolar escrito em prosa ritmada eivada de entusiasmado lirismo.

Em sessenta cartas, distribuídas em duas partes, o herói Hipérion, agora na condição de eremita na Grécia, narra ao seu amigo Belarmino acontecimentos do passado que giram sobretudo em torno de sua intensa experiência amorosa com Diotima, em quem o “belo” se encarna. Hipérion permanece como um questionamento profundo sobre os caminhos possíveis para vivenciarmos a beleza, o amor e a plenitude interior, tão desejadas e tão necessárias a uma vida feliz.

Friedrich Hölderlin (1770-1843), poeta, romancista, dramaturgo e ensaísta alemão, teve uma trajetória quase inclassificável na literatura alemã, criador de uma convergência plena do classicismo com o romantismo, no final do século XVIII. Depois de seguidos acessos de esquizofrenia, viveu quase 40 anos enclausurado numa torre em Tübingen, conhecida hoje como a Hölderlinturm (torre de Hölderlin).