Roberto Carlos agradeceu várias vezes.

Roberto Carlos pisou no palco montado no Parque Barigüi por volta das 20h15 ? mais de uma hora depois do horário previsto ?, logo depois de a orquestra fazer um pout-pourri dos seus maiores sucessos. As cerca de 60 mil pessoas que se aglomeravam no gramado (quase metade do público que a prefeitura esperava) receberam o Rei com muito entusiasmo. Roberto Carlos agradeceu várias vezes, fez uma pausa marota, e emendou Emoções. Pronto, a platéia estava ganha.

E Roberto Carlos ofereceu ao público exatamente o que ele queria: grandes sucessos (Como é Grande o Meu Amor por Você, Detalhes, As Curvas da Estrada de Santos, Parei na Contramão, É Preciso Saber Viver, entre outros), uma homenagem a Caetano Veloso (Força Estranha) e o inevitável tributo a Maria Rita (Eu Te Amo Tanto, Amor Sem Limite, essas duas cantadas ao piano). Para coroar a noite, Jesus Cristo num coro de 60 mil vozes e as rosas para o público.

Este foi o “presente” que a Fundação Cultural de Curitiba, co-patrocinadora do Pão Music com o grupo Pão de Açúcar, preparou para os 310 anos da cidade. “O curitibano merece esse presente de aniversário, e o Roberto Carlos é quase uma unanimidade”, disse o prefeito Cassio Taniguchi, que confessou ser Emoções a música do primeiro-casal de Curitiba. Taniguchi aproveitou para rebater com antecedência as críticas que pode vir a sofrer pela iniciativa: “Com certeza vão dizer que eu poderia estar usando esse dinheiro para fazer creches, escolas ou postos de saúde, mas eles se esquecem que só essa semana eu inaugurei duas creches e duas novas Unidades de Saúde. A questão social continua sendo a nossa prioridade, mas acho que Curitiba merecia esse presente”.

Apesar dos contratempos, a Fundação Cultural já adiantou que no segundo semestre Curitiba deve receber outra edição do Pão Music, possivelmente com os Paralamas do Sucesso, e que o evento deve entrar no calendário cultural da cidade.