Por Fabian Chacur
SÃO PAULO, SP, 27 de setembro (Folhapress) – Há 40 anos, Roberta Flack tornou-se mundialmente conhecida graças ao sucesso da música “The First Time Ever I Saw Your Face”, delicada balada incluída na trilha do filme “Perversa Paixão” (“Play Misty For Me”), primeiro filme dirigido por Clint Eastwood.
Durante a década de 70, a cantora, compositora e pianista americana se firmou como uma das mais bem-sucedidas intérpretes da soul music. Agora, ela lança “Let It Be-Roberta Flack Sings The Beatles”, no qual relê com acento soul grandes clássicos dos Fab Four.
“Sempre fui fã de belas melodias, e o repertório dos Beatles inclui pelo menos umas cem músicas que eu adoro”, comenta a cantora. “Amo a forma como eles falavam sobre o amor em suas várias formas, e de como eles escreveram sobre emoções tão profundas quando ainda eram tão jovens.”
O álbum reúne músicas como “In My Life”, “Let it Be”, “Come Together”, “The Long And Winding Road”, “We Can Work it Out” e “If I Fell”, além de “Isn’t it a Pitty”, da carreira solo de George Harrison.
A ligação de Roberta com a música dos Beatles vai além do lado meramente artístico. Ela foi, durante muitos anos, vizinha de John Lennon e Yoko Ono em Nova York, e contou com o aval desta última para a realização de seu novo álbum, que inclui depoimento de Yoko e duas fotos, uma das duas feita para o CD e outra incluindo as amigas e Lennon, tirada nos anos 1970.
“Éramos amigos, do tipo que bate na porta e pede açúcar ao outro. Tive a oportunidade de vê-los gravando em estúdio, e participei em 1984 de um tributo a Yoko gravando uma música assinada por ela que eu amo, ‘Goodbye Sadness'”, lembra.
Roberta Flack fez shows no Brasil em 1988, quando inaugurou o hoje extinto Olympia, em São Paulo, e guarda boas recordações dos shows.
“Amei os shows, o público reagiu de forma incrível, especialmente quando cantei as músicas ‘The Closer I Get To You’ e ‘Where’s The Love’ com o cantor Luther Vandross, que na época veio comigo em minha banda.”
A intérprete confessa ser uma fã incondicional de Djavan. “Gosto muito do trabalho dele, a música ‘Oceano’ [que ela cantarola rapidamente] me emociona, é muito bela”.
As músicas de Roberta Flack já foram sampleadas por vários astros da música negra americana atual e, ao contrário de outros artistas de sua geração, ela não acha isso ruim.
“Sei que meus sucessos dos anos 70 são muito sampleados, e agradeço muito a quem faz isso. E por favor, não parem de me samplear!”, diz, bem-humorada.
E como dizem que do primeiro sucesso ninguém esquece, ela se lembra de como “The First Time Ever I Saw Your Face” foi parar na trilha de “Perversa Paixão”, mais de dois anos após ter sido lançada por ela em seu primeiro álbum, “First Take”.
“Minha mãe atendeu o telefone em casa e me chamou, dizendo que um tal de Clint Eastwood queria falar comigo. Ela não sabia de quem se tratava, mas eu, sim! [risos]. Sou grata até hoje a ele por ter escolhido essa música para a trilha de seu filme. Essa canção foi uma bênção para mim, todos a adoram, está nos meus shows até hoje”, garante.