Uma nova estrela surge na constelação da música brasileira. Seu nome: Vanessa da Mata, 26 anos, jovem revelação de Mato Grosso (cidade de Alto Garças), que vem a Curitiba pela primeira vez para apresentar o seu ótimo trabalho autoral hoje e amanhã, às 21h, no Teatro Paiol.

O repertório traz as músicas do disco Vanessa da Mata, com composições que encantaram nomes de peso da música brasileira. Maria Bethânia, por exemplo, gravou uma canção que deu o título do CD A Força que Nunca Seca – feita em parceria com Chico César, que foi indicada na primeira edição do Grammy Latino. A voz de Vanessa também impressionou Baden Powell, Jacques Morelenbaum (um dos produtores do disco de estréia) e até a gravadora multinacional Sony, que apostou suas fichas numa cantora praticamente desconhecida, com trabalho próprio e renovador. Coisa muito difícil de ocorrer nos dias de hoje, principalmente se a artista não tiver no DNA os genes privilegiados de outros ícones da MPB.

Engana-se, porém, quem achar que o trabalho de Vanessa da Mata seja descartável. Ao contrário de muitas artistas que são lançadas como produtos de mercado, a cantora impressiona pela consistência de suas composições e pela voz, comparada por muitos com o timbre de Marisa Monte. Vanessa vai além, por estrear com a maior parte do repertório tendo músicas de sua autoria.

Destaques

Entre os destaques do disco estão Não me Deixe Só, uma composição animada que abre o disco; Viagem, canção de estrada gravada pela primeira vez por Daniela Mercury; Onde Ir, tema da italiana Caterina na novela Esperança; Alegria, de Assis Valente única composição que não é de sua safra pessoal; e a supracitada A Força que Nunca Seca.

***

Ingressos a 10 e 20 reais. Mais detalhes pelo telefone (41) 213-1340.