A música de viola se encontra neste final de semana com a música de câmara brasileira. Tem início hoje, no Teatro da Caixa, o espetáculo do violeiro, compositor e pesquisador mineiro Roberto Corrêa.

Dentro do projeto Viola bem brasileira, ele se apresenta na companhia do também violeiro e “mestre do sertão” Badia Medeiros e da Orquestra à Base de Corda, ligada ao Conservatório de MPB (Música Popular Brasileira) de Curitiba.

“Nossa proposta é mostrar a união entre o tradicional e o contemporâneo. O tradicional se dá através da música de viola. Já o contemporâneo através da música de câmara da orquestra, que utiliza uma instrumentação, arranjos e linguagem musical bastante original”, conta Roberto.

No início deste ano, Roberto gravou, junto com a orquestra, o CD Antiqüera, lançado durante o Festival de Música de Curitiba. “Na obra, ele, que é um dos expoentes da música instrumental brasileira, foi nosso convidado. Agora, nós da orquestra estamos sendo convidados para participar do espetáculo dele no Teatro da Caixa. A parceria tem dado muito certo”, diz o diretor da Orquestra à Base de Corda, João Egashira.

Já com Badia, considerado um dos violeiros mais tradicionais do interior do Brasil e que convive com as mais diversas manifestações populares do sertão, o músico mineiro mantém parceria antiga. Badia e Roberto já se apresentaram juntos diversas vezes.

“É uma honra trabalhar com Roberto. No show deste final de semana, o encontro com a Orquestra faz surgir um som bastante interessante”, comenta o “mestre do sertão”.

Serviço

Projeto Viola bem brasileira. De hoje até domingo, no Teatro da Caixa (Rua Conselheiro Laurindo, 280). Sexta e sábado às 21 horas e domingo às 19 horas. Ingressos: R$ 10 (inteira).