Francisca Queiroz: ?Isso me
dá agilidade como atriz?.

Francisca Queiroz gosta da inconstância de Sol, que interpreta em Agora É Que São Elas. A atriz de pele clara e olhos negros não se incomoda em ter uma personagem que começou com ares de vilã na novela das seis e chega à reta final com um jeito bem mais doce. Até mesmo o figurino de Sol, que antes só se vestia de maneira despojada, com jaquetão de couro, acabou ganhando roupas bem mais sensuais. Francisca adora, na verdade, se surpreender com as atitudes da personagem, que passou por uma verdadeira metamorfose após se apaixonar e conquistar o bonitão Pedro, vivido por Maurício Mattar. “Isto me dá agilidade como atriz, pois tenho de lidar com situações novas. Este é o diferencial da tevê para o teatro e o cinema que gosto muito”, afirma a atriz campineira.

Francisca lembra que logo que começou a gravar Agora É Que São Elas, a personagem criada por Ricardo Linhares a remetia ao papel de Glenn Close no filme Atração Fatal – que não se conformava em ser dispensada após transar com um homem casado interpretado por Michael Douglas. Isso porque Sol infernizou por um bom tempo a vida de Pedro, com invasões-relâmpago em seu escritório, visitas-surpresa em sua casa e muitas aparições inconvenientes, com direito a beijos roubados. “Mas é claro que o filme tinha o lado sexual que a novela não tem”, esclarece. Francisca, no entanto, garante que sabia que a personagem não era uma vilã e que a agressividade de Sol era porque ela se sentia rejeitada pelos pais e sempre ficava em segundo plano. “Ela só maquinava contra a Léo, mas após o namoro com Pedro, mudou completamente. A Sol amadureceu”, defende a atriz.

Com recém-completados 24 anos, Francisca saboreia o personagem de maior sucesso da carreira. Na verdade, a atriz está na terceira novela após estrear na televisão em Os Maias, em 2001, em que viveu Ana, uma das amantes do protagonista interpretado por Fábio Assunção na minissérie de Maria Adelaide Amaral. A atriz viajou com a produção para Portugal e ficou uma semana e meia gravando no país. Ela garante que não teve nenhum problema em fazer algumas cenas mais “calientes” com o ator. “Faz parte da profissão e encaro naturalmente”, afirma. Depois do trabalho de época em Os Maias, Francisca foi para a Record participar da novela Roda da Vida. Na trama, a atriz interpretou Bia, uma universitária de 18 anos que era filha do personagem de Paulo Figueiredo. “Esta novela foi bem mais corrida para mim do que agora. O ator pode se programar melhor na Globo”, acredita.

Logo depois de Roda da Vida, Francisca foi chamada para fazer uma pequena participação em Marisol. A novela era uma adaptação do SBT para um “dramalhão” e tinha Bárbara Paz, a vencedora do Casa dos Artistas, como protagonista. Francisca garante que ter trabalhado fora da Globo foi excelente para manter as portas abertas em outras emissoras. “O mercado para o ator no Brasil é saturado e para mim o importante é ter bons papéis e ganhar algum dinheiro. Trabalho onde for”, afirma.