Em tempos de guerra os atores da peça O Anjo Sem Teto fazem um manifesto contra os Estados Unidos e pela paz. O diretor do espetáculo, César Almeida, conta que o protesto acontecerá no meio da história de um travesti terrorista, fugitivo do MST e que vem a Curitiba tentar carreira de atriz. Na cidade, acaba se envolvendo num crime absurdo. A peça faz parte do Fringe e está em cartaz no Teatro José Maria Santos, de hoje a terça-feira, em diversos horários. Ingressos a 10 e 5 reais.

Baixas

Cinco espetáculos do Fringe já foram cancelados, por motivos diversos. Estão fora da programação as peças A Boa, Variação, Pinóquio, Flicts e Game Over. Na última contabilidade da Calvin Entretenimento, empresa que organiza o Festival, a mostra paralela contava com “apenas” 153 montagens.

Eu Distorcido

Domingo, às 21h, estréia no Teatro Cleon Jacques o espetáculo Eu Distorcido, com texto e direção de Laura Haddad, integrante do Fringe. A peça conta a história de Helena, uma mulher de 27 anos que se desespera ao perder o marido. Sem conseguir aceitar que outra ocupará o seu lugar, ela se descontrola e se mata com um tiro na cabeça, revelando as várias nuances dessa personagem atormentada. Eu Distorcido reúne conceitos de teatro e dança, e investe numa sonoplastia alucinada como a história, que inclui grandes nomes da música eletrônica, como David Bowie e Moby. Até o dia 27, com ingressos a 10 reais (5 para estudantes).

Gurias enlouquecidas

Esbanjando oportunismo, o irrequieto diretor Rafael Camargo estréia hoje à 1h30 no Espaço Cultural Odelair Rodrigues a comédia A Casa das Sete Monetes. As tais “monetes” vivem num rancho isolado no sul do País, onde recebem todos os visitantes com muito calor humano. Sofrendo com a falta dos maridos e as dificuldades financeiras, elas reagem com muito bom humor. Qualquer semelhança não é mera coincidência. De hoje ao dia 29, sempre à 1h30. Ingressos a 10 reais (5 para estudantes). O Espaço Odelair Rodrigues fica na Avenida Sete de Setembro, 2.434.

Recreio cultural

As crianças das escolas municipais Carlos Drummond de Andrade e Oswaldo Arns vão poder assistir à peça O Rico Avarento, que integra o Fringe. A companhia Literária e Teatral, de Curitiba, aceitou fazer as apresentações gratuitamente. A peça de Ariano Suassuna conta a história de um rico sovina e seu empregado. Várias pessoas batem à porta pedindo esmolas e o homem rico manda despachá-las de mãos vazias. Essas pessoas rogam-lhe sempre a mesma praga: que o diabo o carregue. No final o próprio vem pegá-lo. Na semana que vem serão encenadas em escolas municipais as peças Pendurando Histórias, Adriana Banana e O Auto da Estrela Guia. No dia 28, a peça Ploc, A Borboleta Mais Linda que Eu Já Vi será encenada no Hospital Infantil Pequeno Príncipe.

Sessão extra

A peça Memorial do Convento terá sessões extras hoje às 23h e amanhã às 22h, no Teatro do Sesc da Esquina. A peça foi a primeira a ter os ingressos esgotados no Festival de Teatro de Curitiba. Outras três peças esgotaram seus ingressos até a noite de quarta-feira: A Hora em que não Sabíamos Nada Uns dos Outros, Fausto e João And Maria. Na bilheteria do Festival, no subsolo do Shopping Mueller, há uma lista de espera para possíveis sessões extras dessas peças.

De olho no tetra

Jack Nicholson volta a ser um forte candidato ao Oscar de Melhor Ator por um papel parecido com o que lhe rendeu a última das suas três estatuetas, o velho rabugento e obsessivo de Melhor é Impossível: agora ele é o Schmidt de Confissões de Schmidt, que estréia hoje nos cinemas. Um coroa solitário, que resolve pôr o pé na estrada depois de se aposentar e perder a mulher, com o pretexto de visitar a filha. Mas a filha não gosta dele, e se aborrece pela visita às vésperas do casamento. Schmidt tampouco engole o futuro genro, a quem considera medíocre, nem os pais dele, que acha vulgares e inconvenientes. E tenta impedir o casamento da filha. Quem já viu garante que o final é emocionante. A direção é de Alexander Payne.