Depois de mais de três anos fechada, a Pedreira Paulo Leminski está perto de reabrir. Com a perícia técnica concluída, moradores e produtores de shows pretendem chegar a um acordo em uma reunião de conciliação marcada para outubro. Segundo o vereador Jonny Stica (PT), que encabeça a campanha “A Pedreira é Nossa!”, a expectativa é que o desfecho seja positivo.

“O acordo é um caminho natural depois de muito diálogo entre as partes envolvidas”, afirma Stica, que solicitou a reunião com a juíza responsável pelo processo, Mariana Fowler Gusso, da 4ª Vara da Fazenda Pública, onde será assinado o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). O documento deverá ser assinado entre o Ministério Público, autor do processo, e a Prefeitura de Curitiba, que é ré, mas envolveria também os produtores locais e moradores da região.

Foram definidos alguns pontos para garantir a volta dos shows na Pedreira, sem que isso prejudicasse quem mora nos arredores. Um deles é o limite de horário para a realização de eventos: em dias de semana os show devem terminar meia-noite e no sábado e domingo, até 1 hora. Antes não havia uma regra sobre horários.

Além dos produtores, a população também se envolveu na luta pela reabertura do local de shows. Prova disso é o número de assinaturas coletadas pela campanha “A Pedreira é Nossa!” que, em pouco mais de dois anos, conseguiu 17,5 mil assinaturas.

O vereador ainda não teve acesso ao resultado da perícia técnica, mas adianta que o laudo considerou que a Pedreira tem todas as condições para receber shows. Após a reunião, a expectativa é que o local seja reaberto o mais rápido possível. “O próximo passo é comemorar”, diz Stica.