enkontra.com
Fechar busca

+ Pop

O Tempo e o vento é uma versão estendida do filme

O filme e minissérie contam a trajetória da Família Cambará

  • Por Tribuna Pop

Para quem não conseguiu ver O Tempo e o Vento no cinema, a Rede Globo dá mais uma chance. Amanhã estreia a microssérie de mesmo nome, que será uma versão estendida da obra cinematográfica, e vai ao ar em três episódios, até sexta-feira. E, mesmo para aqueles que conferiram o filme nas telonas, vale a pena dar um pouco de atenção à série, pois ela inclui cenas que foram cortadas para a versão do cinema. No elenco, dois paranaenses aparecem com destaque: Marjorie Estiano (que interpreta Bibiana jovem) e Igor Rickli (que dá vida a Bolívar adulto, que mal aparece no filme e, portanto, só será visto na televisão).

Baseados na obra homônima de Érico Veríssimo, filme e minissérie contam a trajetória da família Terra Cambará. Desta forma, o épico gaúcho deve agradar um público que há tempos espera outra obra televisiva neste mesmo estilo, aquele que acompanhou do começo ao fim as minisséries A Muralha e A Casa das Sete Mulheres, que eram ainda mais extensas. A história é contada por uma Bibiana já idosa, vivida por Fernanda Montenegro, que relembra o passado de sua família desde que seus avós, Ana Terra (Cleo Pires) e Pedro Missioneiro (Martin Rodriguez), se encontraram e se apaixonaram, ao lado do espírito de seu marido, o capitão Rodrigo Cambará (Thiago Lacerda).

Depois de passar pela história de seus avós e de seus pais, Bibiana relembra como conheceu o capitão Rodrigo, personagem mítico da literatura brasileira, e se casou com ele. Mas as lembranças de Bibiana não param por aí. Ela ainda continua a contar a trajetória da família, narrando como seu filho Bolívar e seu neto Licurgo continuaram a lutar com a família Amaral depois que Bento Amaral matou Rodrigo. É justamente esta parte que não está presente no filme, mas foi incluída na minissérie. Na televisão, Bolívar e Licurgo devem ter mais destaque, com um episódio inteiro dedicado às suas aventuras. Ao todo, são 150 anos de história.

Cortes

A versão cinematográfica, vista por 707 mil pessoas, não tinha como comportar todas as histórias que o diretor Jayme Monjardim queria incluir na obra. Por isso, a necessidade de cortar algumas delas, para que o filme não ultrapassasse as duas horas de duração que tem. Na televisão, com a divisão da série em três episódios, foi possível manter a produção original, mantendo a mesma estrutura narrativa. “Serão três momentos (na série): Ana Terra, Capitão Rodrigo e Bolívar. Todos os três costurados pela Bibiana no sobrado cercado. É como se viu no filme, com a diferença de que o núcleo do Bolívar ganhará corpo”, explicou o diretor, em entrevista recente ao jornal Zero Hora. A série vai ao ar após Amor à Vida.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas