Morreu na madrugada desta terça-feira (17) o escritor e cientista social Gilberto Dupas, aos 66 anos. Ele vinha lutando contra um câncer de pâncreas havia um ano. Dupas havia lançado, em 2008, o romance “O Incidente”, seu segundo livro de ficção. Autor de uma dezena de livros, era coeditor da revista Política Externa, presidente do Instituto de Estudos Econômicos e Internacionais (IEEI), membro do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo e articulista do jornal O Estado de S. Paulo. Seu último artigo para jornal, “Democracia e serviços públicos”, foi publicado em 17 de janeiro.

Economista, Dupas foi presidente da Caixa Econômica do Estado de São Paulo e secretário de Agricultura do Estado, no final do governo de Franco Montoro (1983-1987). Em 1987, publicou o livro “Crise Econômica e Transição Democrática: 83-86”, sobre a redemocratização do Brasil. Em 1997 havia lançado seu primeiro livro de ficção, o romance “Retalhos de Jonas”.