Linguista, filósofo, crítico literário e de artes plásticas, ensaísta – e médico psiquiatra, o suíço Jean Starobinski morreu na segunda-feira, 4, aos 98 anos.

Starobinski é autor de uma vasta obra, publicada no Brasil pela Companhia das Letras. Entre seus livros estão 1789: Os Emblemas da Razão (1988), Jean-Jacques Rousseau: A Transparência e o Obstáulo (1991), Montaigne em Movimento (1993), As Máscaras da Civilização (2001) e A Tinta da Melancolia (2016). São dele, ainda, As Palavras sob as Palavras e A Invenção da Liberdade.

Nascido em 1920, em Genebra, na Suíça, Jean Starobinski doutorou-se em medicina e letras. Foi professor da Universidade Johns Hopkins e da Universidade de Genebra, onde lecionou literatura francesa e história da medicina.