Oswaldo Montenegro no
musical Léo e Bia – 1972.

O Teatro Guaíra recebe hoje um dos espetáculos de maior sucesso nos anos 80s, o musical Léo e Bia – 1973, do músico e compositor Oswaldo Montenegro, que também dirige, narra e canta. O elenco conta com a participação de Bárbara Borges, Maytê Piragibe, Sthefany Brito, Patrícia Werneck, Pedro Nercessian, Daniel Del Sarto, Taís Alvarenga, Ricardo Monastero e Lúcia Alves. Com a trilha sonora ao vivo, Montenegro tem o acompanhamento de Madalena Salles (flauta e teclado), Alexandre Reis (guitarra e baixo), Caíque Vandera (teclados) e Pedro Memede (bateria). O espetáculo conta a história de amor entre Léo e Bia, e a amizade entre oito adolescentes que fazem teatro. O conflito ocorre quando a mãe de Bia, uma mulher rica, porém frustrada e sozinha, joga todas suas desilusões na filha.

Passada em 1973, auge da ditadura militar, Léo e Bia vivem da arte numa época em que a capital federal era fria, quase morta. Liberdade e criatividade eram vistas sempre com um olhar desconfiado por parte do governo e da sociedade, acuada e com medo do regime ditatorial. Nesse panorama é que os jovens amigos levam uma vida despreocupada até o surto tomar conta da mãe de Bia. Obcecada pela filha e isolada do mundo, sua opressão se torna tão pesada que o sentimento de Bia em relação a repressão política, junto a pressão da mãe, refletem todo o sofrimento dos jovens brasileiros, principalmente os que habitavam o planalto central. Para localizar o público no momento histórico, a montagem inclui alguns documentários de época.

Na direção de arte, Teca Fishinski armou o cenário de uma forma que o público junte a idéia de ficção sobreposta pela realidade. A iluminação evidencia Brasília com uma tomada de luzes vermelhas e amarelas. Léo e Bia também está sendo roteirizada para o cinema com participação do cineasta e compositor Paulo Mendonça. Sobre a peça ele fala: "Há um instante na vida, pelo qual passamos, onde o presente é a insuportável angústia pelo imponderável futuro. A revisão crítica de um tempo, talvez um olhar autobiográfico sobre uma geração, mas principalmente o registro poético de um mágico e aflitivo momento de descobertas e decisões".

Com sua primeira versão em 1984, no Rio de Janeiro, com atuação de Isabela Garcia, a peça ficou um ano em cartaz no Teatro Vannucci. A crítica a classificou como real, lúdica, engraçada, séria e cheia de energia, tal como funciona o coração de um jovem. A temática continua atual, com o jovem passando pelas mesmas fases de rebeldias e descobertas.

Oswaldo Montenegro leva Léo e Bia dias 15 e 16 de setembro para o Canecão, no Rio de Janeiro, e dias 29 e 30 de setembro para o Tom Brasil, em São Paulo. A trilha do espetáculo está sendo gravada em CD e conta com a participação de Ney Matogrosso, Glória Pires, Sandra de Sá, Paulinho Moska, Zé Ramalho, Jorge Vercilo e outros artistas.

Serviço:

Espetáculo musical Léo e Bia – 1973, hoje, às 21h, no Grande Auditório do Teatro Guaíra. Os ingressos estão à venda por R$ 60 e R$ 30 meia entrada, válidos para platéia, 1.º balcão e 2.º balcão. Mais informações pelo telefone (41) 3304-7900.