O criador da Turma da Mônica, Mauricio de Sousa, fará uma tarde de autógrafos na Livrarias Curitiba do Shopping Curitiba, dia 30 de maio, às 15h. Ele apresentará a coleção Conheça a Turma, que traz os famosos personagens em brail-le. A obra foi lançada nacionalmente na Bienal do Livro, no Rio de Janeiro. Em Curitiba, Mauricio aproveita para visitar o evento ?Brincando na Vila da Mônica?, que permanece aberto ao público na Livrarias Curitiba até o dia 30 de maio. A obra, lançada pela editora Globo, tem a intenção de permitir que crianças cegas e com baixa visão também possam conhecer o maravilhoso universo criado por Mauricio de Sousa.

Todo o trabalho foi realizado em parceria com a Fundação Dorina Nowill para Cegos, uma referência na educação de deficientes visuais, que atesta a originalidade e a qualidade da coleção. Inclusive, a personagem cega Dorinha, que estreou na Turma da Mônica em 2004, foi uma homenagem de Mauricio de Sousa à fundadora da instituição, a professora Dorina Nowill, que perdeu a visão quando jovem – estudou em São Paulo, e se especializou nos Estados Unidos para ajudar pessoas com o mesmo problema.

?Esta parceria vem concretizar um trabalho cultural e pedagógico realizado pela Fundação Dorina Nowill há mais de meio século, ampliando os horizontes do sonho e da alegria das crianças deficientes visuais?, enfatizou Dorina Nowill.

Segundo dados do último censo do IBGE, de 2000, no Brasil 16,5 milhões de pessoas possuem alguma deficiência visual; cerca de 2,4 milhões apresentam dificuldade permanente de enxergar e aproximadamente 160 mil são totalmente cegas.

Os dois primeiros livros de uma série de 20 são Oi, eu sou a Mônica e Oi, eu sou o Cebolinha. Ambos foram escritos por Yara Maura numa linguagem simples e divertida, com a preocupação de apresentar os personagens. Para isso, haverá sempre uma página contando as coisas que eles mais gostam de fazer, suas travessuras, brincadeiras e seus melhores amigos, seguida de outra com desenhos em braille. Assim, as crianças poderão identificar, pelo tato, quem é quem. Tudo foi feito com o auxílio de uma equipe de consultores (deficientes visuais), para garantir que as ilustrações e o texto fossem adaptados de maneira correta.

Outro diferencial desta coleção é a aposta no conceito do livro inteligente. As páginas das edições apresentam letras grandes e cores diferenciadas para atingir também crianças com baixa visão que possuem um resíduo visual e necessitam de recursos especiais para a leitura. A adaptação, contudo, vai muito além da simples transcrição do conteúdo em pontos. As histórias, originalmente publicadas em 2004, tiveram a tipologia refeita e as imagens totalmente reestruturadas. Os locais em que havia tons sombreados, por exemplo, passaram a ter cores chapadas, para facilitar a visualização de quem tem baixa visão. Em seus quadrinhos, Mauricio de Sousa mostra que crianças com deficiências devem viver a infância em sua plenitude. E agora, elas também vão poder se divertir com Mônica, Cebolinha, Cascão, Magali e companhia.