Fechando um ciclo. É assim que Maria Gadú prefere se referir ao projeto Guelã – Ao vivo, que ela traz a Curitiba, nesta sexta-feira (23), para única apresentação na Ópera de Arame. “Esse registro fecha um ciclo, uma etapa. Foi um passo importante pro caminho que quero traçar baseado no que posso aprender, degustar e assim externalizar em palavras e sons. Venho me questionando e colocando à prova todo o conhecimento adquirido ao longos dos meus 30 anos. Guelã é mutação. O registro serve pra explicitar o quanto poderei mudar hoje e amanhã”, revela a cantora.

A voz meiga da artista paulistana traz um repertório para a capital paranaense que passeia entre as canções como Suspiros, Ela, Semi-voz, Sakédu, Tecnopapiro, , Vaga, Aquária e Obloco. No entanto, sucessos anteriores, como Laranja e Bela Flor, também devem fazer parte do setlist.

“A gente tentou registrar esse show no festival de Montreux, mas não deu certo. As coisas não dão certo às vezes e isso é maravilhoso. Ia ser um DVD, chique e tudo. E assim foi, no dia 11 de agosto, onde tinha que ser, no Centro Cultural São Paulo. Todos gaivotas, numa caixa de pandora, onde a luz é sombra e a música ecoa”, comenta Gadú, sobre o seu terceiro DVD e sétimo CD da carreira.

Serviço:

Data: 23 de junho (sexta-feira)

Local: Ópera de Arame (Rua João Gava, 874 – Abranches)

Horário: 21h15

Ingressos: De R$40 (meia-entrada) até R$240 (inteira), de acordo com o setor

Vendas: Disk Ingressos