O longa “Na estrada”, do brasileiro Walter Salles, foi apresentado ontem no 65º Festival de Cannes. Adaptação do livro de Jack Kerouac, o filme, que demorou mais de cinco décadas para a chegar às telas, relata uma viagem pelos Estados Unidos no fim dos anos 1940, repleta de álcool, drogas, sexo, amizade, “fala da perda da inocência”, segundo descreveu o próprio diretor. O longa é estrelado por Sam Riley, Garrett Hedlund, Kristen Stewart, Kirsten Dunst, Viggo Mortensen e pela brasileira Alice Braga.

De manhã, a produção foi recebida com poucos aplausos e uma certa frieza por parte da imprensa mundial. À noite, porém, o filme foi ovacionado pelo público presente à sessão de gala em que foi exibido.

Impressão do diretor

“Considero todos os atores como coautores desse filme. Porque com sua entrega e as pesquisas que fizeram, eles me permitiram ir mais longe que o livro, mas sem deixar de permanecer fiel a Kerouac. Trabalhamos num espírito de improvisação permanente”, contou Walter Salles.

Nudez

“Poderia dizer que Walter criou uma ambiência que libera o ator de suas inibições, mas na verdade esse é um risco que quis correr, conscientemente”, contou Kristen Stewart, sobre aparecer nua na tela. Segundo a atriz, Marylou é uma personagem que ousa, mas sem querer. “Não creio que ela estivesse querendo ser parte de um movimento. Ela queria ser ela mesma e isso é uma coisa com a qual consigo me identificar. Para mim, se alguém encarna o espírito de liberdade do livro, é ela. Durante a filmagem, nos momentos de dúvida, eu sentia sua presença muito próxima, como se nos guiasse.”