No final do ano passado, Eduardo Moreira, um dos atores fundadores do premiado grupo mineiro Galpão, sediado em Belo Horizonte, lançou sem estardalhaço o livro “Uma História de Encontros”, pela Duo Editorial. Em caprichado volume de capa dura, o ator resume de forma rica e saborosa a trajetória de sucessos, percalços e aprendizados do grupo. É um volume fundamental para todos os que gostam de teatro e querem entender como um grupo consegue sobreviver por tantos anos num país sem tradições, sem memória e sem políticas culturais públicas abrangentes para o setor.

Muito bem escrito, o livro é basicamente dividido em capítulos que contam histórias sobre cada um dos diretores convidados a atuar no Galpão. São textos que Eduardo Moreira já havia postado no blog da companhia (www.grupogalpao.com.br). No prefácio, ele adverte para o que seria talvez o único defeito da edição: casos repetidos em mais de um capítulo e nenhuma preocupação cronológica. “Escritos para o blog, lhes falta uma continuidade de tempo e isso faz com que algumas situações acabem por se repetir.” Ao final, há um ótimo encarte que resolve a questão do tempo: “Uma Breve Cronologia”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.