Diários da Motocicleta está entre os favoritos em Cannes. Talvez um pouco atrás do Farenheit 9/11 e do chinês Punhais Voadores, o favorito de Tarantino, presidente do júri. Mas, no dia seguinte à sessão que arrebatou convidados e jornalistas no Festival de Cannes, Diários de motocicleta foi tema também de críticas publicadas nos principais jornais e revistas do mundo. O italiano Corriere de la Sera escreveu “Walter Salles, que havia emocionado a todos com Central do Brasil, (…) nos comoveu novamente, candidatando-se à Palma de Ouro”. O espanhol El País, publicou: “O filme de Walter Salles alcança qualidades narrativas e analíticas mais do que notáveis”.

Na Inglaterra – onde o filme tem um significado especial por ser o último co-produzido pelo Channel 4 – o The Times publicou: “A mágica está no brilhantismo com o qual a história é enquadrada na paisagem. É tanto uma ode ao interior da América do Sul quanto uma viagem de autodescoberta. O resultado é um filme que encantou a Croisette e pôs Walter Salles em alta cotação para um prêmio”. Outro londrino, o The Guardian proclamou: “O espírito de Guevara trilha firmemente em direção à Palma de Ouro”. E o Daily Telegraph não deixou barato: “Walter Salles é o homem do momento em Cannes”.

Mas o Le Figaro fez côro aos elogios: “O filme de Walter Salles é de uma curiosidade apaixonante. De um episódio pouco conhecido da juventude de Che, ele faz uma tese e uma justificação, mas jamais de maneira maniqueísta ou didática”. Assim como o Le Monde: “A autenticidade do fim vem da recusa de se prender ao sério e do senso de humor dos personagens (…) Mas também da osmose que se opera entre a ficção e a mensagem. Diários de motocicleta tem um aspecto documental que não muda só os dois compadres da tela”.

E os elogios não vêm só da Europa. A revista americana especializada em cinema “Screen International” publicou: “Há a sensação de que documentários e dramatizações estão correndo para dar conta dos eventos recentes, lutando para tentar entender o frágil mundo em que vivemos. Aqueles procurando por esperança podem encerrar sua busca em Diários de motocicleta, onde a injustiça social não leva Che Guevara ao desespero, mas o faz querer mudar o mundo. Num festival marcado pelo clima sombrio, que mensagem mais inspiradora se poderia pedir a um vencedor em potencial da Palma de Ouro?”.