Gravado ao vivo na Bahia, o quarto CD (Abril Music) do Harmonia do Samba não é uma reunião de sucessos anteriores. Trata-se de uma ousadia. Só os dois pot-pourrys incluem faixas já gravadas por eles e, mesmo assim, não as mais conhecidas. As outras doze nunca foram gravadas antes por Xanddy e sua turma, sendo dez composições inéditas de seus integrantes (especialmente Xanddy, Deco e Bimba) e duas releituras. Mamão Papaia, que em seu arranjo tem citado o clássico Na Baixa do Sapateiro (Ari Barroso), é de Gilberto Gil, e foi gravada originalmente por Carla Visi. “O Gil disse que escreveu essa música pensando na gente, e resolvemos dar a nossa leitura a ela”, explica o cantor.

Entre as inéditas, tem a divertida Destrambelhada, que está invadindo as paradas de sucesso. “É a faixa mais ousada do disco, e o pessoal está gostando muito dela nos shows”, avalia Xanddy. Nordestino homenageia os repentistas, enquanto Tá Com Vergonha traz elementos de funk. Vitamina de Brasil foi escrita na Alemanha, quando a banda se apresentava por lá. Sambas de Roda traz a participação especial de Beto Jamaica, ex-vocalista do É O Tchan. “É um samba de roda, e o Beto Jamaica é um dos pioneiros nessa área”. Para Xanddy, o grupo continua seguindo sua linha musical, mas sempre buscando novos rumos. “Esse disco tem diversas misturas sonoras, com muitas idéias percussivas novas, um tempero do Roque César, que incluiu instrumentos diferentes dos que a gente estava habituado a tocar”.