Guarda portuário representará o Paraná no XIII Circuito Internacional de Arte Brasileira
O guarda portuário Fernando Cancela Amorim será um dos representantes do Paraná no XIII Circuito Internacional de Arte Brasileira, um dos mais importantes eventos culturais de artes plásticas do Brasil no exterior. A promoção é da Colege Arte, entidade privada que ministra cursos de nível médio em pintura, escultura e artesanato e realiza workshops, palestras e oficinas de arte, além de ações culturais de caráter social.

Amorim foi convidado pela organização do evento, após passar por um processo de seleção que incluiu análise do currículo e dos seus trabalhos e integrará grupo seleto de pintores, fotógrafos, desenhistas e escultores de cada canto do país. ?Foi uma surpresa maravilhosa. Fiz a inscrição e não esperava ser chamado. Esta será uma oportunidade para mostrar meus trabalhos e ser reconhecido em outros países?, disse o artista que pinta desde os 4 anos de idade. Ele participará da exposição com duas pinturas à óleo, retratando o fandango e os pescadores do Litoral.

O XIII Circuito Internacional de Arte Brasileira acontecerá entre os dias 1º e 25 de abril e a cada semana será montada num país diferente. Entre os dias 1º e 8 de abril estará na Polônia (Varsóvia), entre os dias de 9 e 16 de abril na Alemanha (Frankfurt) e entre 18 e 25 de abril a exposição acontecerá na Áustria (Viena).

?A expectativa é que entre 80 e 90 artistas participem da exposição. A lista com os nomes será concluída até o dia 25 de janeiro, mas esperamos manter uma boa participação, como de anos anteriores?, comentou Daniela Bambirra, funcionária da Colege Arte há seis anos. No ano passado, o Circuito aconteceu na Áustria, China e Tailândia e reuniu 120 artistas.

Oportunidade 

Cada mostra internacional conta com o apoio institucional do setor cultural da Embaixada do Brasil nos países que sediam o evento e também do Ministério das Relações Exteriores em Brasília. Desde sua primeira edição o Circuito Internacional já passou por vários países da Europa, Ásia e América Central, como Inglaterra, Espanha, Portugal, Áustria, Grécia, França, Itália, China, Tailândia, República Tcheca, Eslováquia, Republica Dominicana, Trinidad e Tobago e países do MercoSul.

A novidade neste ano é que os artistas poderão não apenas expor como também  comercializar suas obras. ?Desta forma, abrimos ainda mais o mercado e damos a oportunidade para, principalmente os artistas que ainda não são famosos, expandir sua obra e ampliar seu currículo, vendo suas obras expostas em galerias e acervos particulares?, comentou Bambirra.