Depois de curta temporada em São Paulo e Rio de Janeiro, o Circuito Cultural Banco do Brasil traz a Curitiba a montagem da peça Molly Sweeney ? Um Rastro de Luz, do irlandês Brian Friel, espetáculo que marca a volta da atriz Julia Lemmertz aos palcos depois de cinco anos dedicados à TV e ao cinema. Dirigido por Celso Nunes, a produção será apresentada nesta quarta-feira (08) e quinta-feira (09), às 21 horas, no Guairinha. Também na quinta-feira, a partir das 17 horas, a atriz Julia Lemmertz irá conversar com a fãs, atores e interessados sobre o processo de criação de sua personagem, a cega Molly. A entrada é gratuita.

Os ingressos para as apresentações serão vendidos na bilheteria do Teatro a R$15,00 inteira e R$7,50 meia-entrada (estudantes com carteirinha e idosos). Clientes do Banco do Brasil também pagam meia-entrada, mediante apresentação do cartão de crédito ou débito BB. Pede-se a doação de 2 quilos de alimentos não perecíveis que serão doados para instituições sociais da região.

Um rastro de esperança – Molly Sweeney tem 41 anos. Cega desde os 10 meses aprendeu a distinguir as flores pelo cheiro com seu pai. Seu marido é um irlandês sonhador e desastrado, com esquemas de enriquecer que nunca dão em nada. Ele traz um oculista que já foi célebre nos EUA, mas é alcoólatra e está tentando esquecer a mulher que o traiu. Molly vê vultos, não é totalmente cega.

O oculista acha que pode restituir sua visão com cirurgia e que, com isso, recobraria a fama e a mulher que perdeu. Já o marido vê na cura de Molly mais uma causa de sucesso. Molly sabe que os dois a usam, mas está satisfeita com o seu mundo de sensação e imaginação. Até que ela decide arriscar a operação.

São as vidas dessas três pessoas que a peça descreve. Quando elas se encontram diante de acontecimentos capazes de transformar suas vidas, são levadas a refletir sobre regras e valores que pautam os relacionamentos humanos. Apesar do drama real da personagem, a discussão transcende a questão da deficiência e paira sobre conceitos mais amplos, como o respeito às diferenças e à individualidade. Por meio da alegoria do cego que escolhe não ver, o autor tece uma crítica às vendas da vaidade, e mostra que a sensibilidade e a intuição são valores raros na era do egocentrismo.

O espetáculo Molly Sweeney – Um Rastro de Luz foi escrito pelo irlandês Brian Friel, um dos mais respeitados dramaturgos daquele País. Dirigida por Celso Nunes, a peça tem no elenco Julia Lemmertz como Molly Sweney, Ednei Giovenazzi como Doutor Rice e Orã Figueredo como Frank, como o marido de Molly. Todos em cena desde que as cortinas se abrem, os personagens revezam depoimentos sobre seus sentimentos e passados. Na ficha técnica estão Fabio Namatame (cenário e figurino), Celso Nunes (iluminação) e tradução de João Bethencourt.

Inspirada em um caso narrado pelo neurologista Oliver Sacks, a montagem original da peça estreou em Dublin em 1994 e, dois anos depois, estrelado por Jason Robards, Catherine Byrne e Alfred Molina, o espetáculo foi sucesso de público e crítica na Broadway. É atualmente encenada em Paris no Teatro da Gaitê Montparnasse.

Serviço:
Peça: Molly Sweeney? Um rastro de luz
Datas: 8 e 9 de novembro, às 21 horas.
Local: Guairinha
Entrada R$15,00 e R$7,50 meia. Pede-se a doação de 2 kg de alimentos não-perecíveis

Encontro com Julia Lemmertz
Data: 9 de novembro, às 17 horas.
Local: Guairinha
Entrada gratuita