O ator Reynaldo Gianecchini voltará a atuar na peça “Cruel”. Recuperando-se de um transplante de medula óssea, o ator de 39 anos retornará ao palco em março, no Teatro Faap, onde estava em cartaz quando, em agosto do ano passado, foi obrigado a interromper a temporada ao descobrir que estava com um linfoma não Hodgkin de células T – um tipo raro de câncer que atinge o sistema de defesa do organismo.

Com produção da MorenteForte, assessoria que estreia como produtora justamente com essa peça, “Cruel” também fará parte da nova temporada de espetáculos que vão ocupar os CEUs da Prefeitura – a programação será divulgada hoje e “Cruel” deverá ser encenada em maio.

Ao lado de Maria Manoella e Erik Marmo, Gianecchini retomará um dos papéis do texto escrito pelo sueco August Strindberg (1849-1912), com direção de Elias Andreato. O ator não deverá usar peruca, mantendo a calvície, fruto do tratamento contra o câncer – ele passou por várias sessões de quimioterapia antes de ser internado para o transplante.

 

Gianecchini também participará do remake da novela “Guerra dos Sexos”, de Sylvio de Abreu, que deverá estrear em outubro, na Globo, na faixa das 19 horas.

O ator se diz animado para voltar ao palco, pois seu personagem, Gustavo, difere dos papéis que habitualmente lhe são reservados – o texto mostra como três personagens se digladiam até que ambos terminem em uma situação mais arrasadora que antes. Em “Cruel”, o que predomina é violência psicológica.

“Um homem mata o outro apenas com o poder de persuasão das palavras”, comentou Erik Marmo no ano passado, quando o espetáculo estreou. “Cruel” retomará o horário alternativo do Teatro Faap, às segundas e terças-feiras. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.