Sempre que é chamado para um trabalho, Sérgio Menezes se preocupa em avaliar se o personagem não é um reforço para velhos estigmas que perseguem os negros. Apesar de o ator ter estreado como escravo, em Força de um desejo, logo em seguida viveu um pescador em Portos dos Milagres, um médico em O beijo do vampiro e o fotógrafo Bruno, de Celebridade, personagem que Gilberto Braga criou especialmente para ele. Por ter feito papéis com diversas profissões, Sérgio acredita que tem conseguido escapar da sina que persegue muitos atores negros: a de encarnar sempre escravos ou empregados. Apesar de voltar a viver um escravo, o Fulgêncio, de Sinhá-Moça, Sérgio defende que seu personagem atual é apenas mais uma possibilidade interessante de atuação, e não a única. "Se fosse para fazer só personagens estereotipados, eu não seria ator", desabafa.

Nome completo: Sérgio Menezes dos Reis.

Nascimento: 23 de novembro de 1972, no Rio de Janeiro.

Primeiro trabalho na tevê: Força de um desejo, na Globo.

Atuação inesquecível: Em Força de um desejo.

Interpretação memorável: "Glenn Close, no filme Ligações perigosas".

A que gosta de assistir: "Discovery Channel".

A que nunca assistiria: "Programas sensacionalistas".

Ator favorito: Osmar Prado.

Atriz favorita: "Tilda Swinton, que fez o filme As crônicas de Nárnia".

Com quem gostaria de contracenar: Angelina Jolie.

Novela: ?Vale tudo?.

Cena inesquecível na tevê: "Sônia Braga pegando a pipa no telhado, em Gabriela, da Globo".

Trilha sonora inesquecível: Sonhos, cantada por Jane Duboc, em Fera radical".

Um vilão marcante: "Odete Roitman, em Vale tudo".

Personagem mais difícil de compor: "Fulgêncio, de Sinhá-Moça".

Melhor bordão da tevê: "’Não é brinquedo, não’, de Dona Jura em O clone".

Melhor programa de humor: TV Pirata.

Que papel gostaria de representar: "Um vilão bem marcante".

Par romântico inesquecível: "Adorei contracenar com a Cláudia Abreu, em Celebridade".

Filme: Matrix.

Diretor favorito: Mauro Mendonça Filho.

Um vexame: "Faço questão de deletar todos os meus vexames".

Uma mania: "Não consigo sair de casa sem ver as notícias na internet".

Medo: "De não fazer as coisas certas".

Planos: "Montar um musical".