cavendish190605.jpgNos dois últimos dias de Fashion Rio, sábado e domingo, os estilistas das diversas confecções que se apresentaram foram um tanto mais conservadores, embora criativos e ousados, sem cair no ridículo ou abusar no desenho das estampas ou combinação das peças. Walter Rodrigues de São Paulo apresentou uma moda tipo mãe, vestidos bem comportados, em cima ou pouco acima do joelho, cores sóbrias, beges, vinho, rosas e amarelos escuros, quase sem estampas. Entretanto, Rodrigues mantém o altissimo padrão em suas criações, modelagens perfeitas, graças a sua experiência em alta costura – o que marca presença nos desfiles em São Paulo.

Karlla Girotto foi mais ousada, com seus babados,  suas variações de listras na mesma peça e releituras do preto básico. Cavendish foi o maior destaque da noite de sábado. Os estilistas da marca  voltaram com os anos 60s e 70s, hippies, repletos de túnicas em crepe, brancos e beges, ao mesmo tempo contemporâneos, acrescentados de acessórios como enormes colares da época contracultura, tudo muito prático confortável e nota 10 para as sobreposições que se mantiveram leves, light, ao gosto das brasileiras para este verão.

As roupas de praia da Lenny estiveram com muito pano, embora bem colocados, com ousadia, cores na conta certa. Pretos e brancos em maiôs clássicos, lembrando alta costura. A designer abusou nos detalhes, miçangas, laços, todos produzidos e colocados nas peças com muito capricho em acabamentos preciosos.

lenny2190605.jpgNo domingo, destaque para a Redley, moda surf que já existe no Rio há vinte anos e estreou no FashionRio em grande estilo. As roupas da Redley se destacaram pois sempre foram inovadoras, os calções para surfar, os biquinis, a combinação de cores, ousados e contemporâneos, mas sem cair no ridiculo e sem misturar muito. As modelos estiveram primorosas ao apresentarem as saias, túnicas em crepes e algodão cru.

O Fashion Rio foi um sucesso sob todos os aspectos. Embora as confecções não sejam tão conhecidas no sul, elas influenciam a maioria dos costureiros, estilistas de todo o País, por causa da criatividade dos cariocas para a moda de verão. A organização foi a melhor possível. Claro, alguns esbarrões aqui e ali, mas isso acontece também em São Paulo, New York ou Paris. O Fashion Business e a mostra de jóias mostraram ser apropriados ao evento, combinando com os desfiles e com a presença de negociantes, empresários do setor, formadores de opinião e imprensa. A assessoria de imprensa da Approach foi primorosa, mantendo sites com muita informação, atendimento aos jornalistas foi perfeito – diversas meninas sempre dispostas e educadas nos atendiam e conseguiam o que desejassemos, seja computadores, entrevistas ou facilidades para entrar nos desfiles. A Approach também foi ótima na recepção e assentamento dos jornalistas que ficaram num ótimo hotel e contavam com vans a toda hora para o transporte hotel-MAM.