Fabiana Figueiredo
Fabiana Figueiredo

Vocalista do Pato Fu lança o primeiro livro e disco solo em homenagem a Nara Leão.

Uma surpresa recheada com muita imaginação e experimentalismo. Essas foram as sensações que o brasileiro teve quando conheceu a banda Pato Fu, em 1992. Aos poucos, os integrantes conquistaram a simpatia do público com letras humoradas e ritmos variados. Mas a vocalista ? com pouco mais de um metro e meio e dona de uma voz suave – despertou outras curiosidades pelo seu talento e encanto.

Essa cantora era Fernanda Takai, amapaense de nascimento e mineira de criação, que em 15 anos de carreira produziu nove discos, três DVDs e uma filha. Mas ela ainda não cansou de impressionar. A novidade agora vai além da música e chega até a literatura. Ela escreveu a obra ?Nunca Subestime uma Mulherzinha? (editora Panda Books, 136 pág., R$ 24,90).

Para falar sobre seu primeiro livro e a incursão no gênero literário, a própria Fernanda Takai vem a capital paranaense conversar com o público. O encontro é amanhã (23 de abril), às 19h30, na Livrarias Curitiba Megastore do Shopping Estação (av. Sete de Setembro, 2775, loja 1108, Centro, tel. 41-3330-5118) e a entrada é franca.

A obra é uma reunião de contos e crônicas publicados pela autora nos jornais Correio Braziliense e O Estado de Minas, com prefácio escrito por Zélia Duncan. Nesta publicação o leitor poderá comprovar o talento literário e a irreverência de Fernanda Takai em textos confessionais e bem humorados. Com uma simplicidade sublime, a autora descreve momentos de sua vida e cria outros cenários que poderiam caber na vida de qualquer um.

Novidade premiada

Mas se alguém imagina que ela deixaria de lado sua paixão musical, grande engano. Em 2007 ela inovou mais uma vez e lançou seu primeiro disco solo chamado ?Onde Brilhem os Olhos Seus? (Deck Produções, 13 faixas, R$ 27,00).

Totalmente dedicado à Nara Leão, o CD ganhou elogios rapidamente e ainda levou o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte como o Melhor Álbum de Música Popular de 2007.

Produzido por Nelson Motta ? um dos mais respeitados jornalistas do meio cultural e também produtor musical ? o disco renova e reinventa grandes canções de mestres como Chico Buarque, Zé Kéti, Roberto e Erasmo Carlos, Caetano Veloso, Tom Jobim e Vinícius de Moraes, Ernesto Nazareth e Nelson Cavaquinho. Tudo com beats, loops, grooves, timbres, solos e arranjos do terceiro milênio. São 13 faixas marcadas pela graça, bom gosto e elegância, além de um look meio oriental. Neste trabalho, destaques para Canta Maria e Lindonéia.

?A idéia do álbum começou com um e-mail que o Nelson Motta me mandou no final de 2006. Depois de alguns meses em segredo, agora todos podem ouvir o resultado final. Espero que os fãs do Pato Fu e também da Nara gostem dos novos temperos que misturamos a canções tão significativas?, comenta Fernanda.

?Quando ouvi o Pato Fu e vi seus clipes, gostei logo de cara. Minha primeira impressão foi um alto elogio: puxa, essa garota é a Nara Leão do pop rock. O oposto da exuberância e vulgaridade das estrelas pop?, fala Nelson Motta.

A empatia foi tanta que o produtor musical não resistiu e sugeriu a ela cantar músicas e fazer releituras das canções que marcaram a carreira de Nara. ?Para minha surpresa, ela conhecia várias e gostava. Seu pai tocava os discos de Nara para ela desde criança. Depois ela me pediu uma lista de sugestões e disse que faria alguma coisa. O resultado ficou lindo, que com certeza Nara ouviria com prazer, alegria e orgulho – um disco que honra a sua memória e a revive e renova. Simples assim, cara de Fernanda, a cara de Nara?, finaliza Motta.

Perfil

Fernanda Takai nasceu na Serra do Navio (AP), mas já é considerada mineira por morar em Belo Horizonte há mais de 20 anos. Graduou-se em relações públicas pela UFMG em 1993. Dizem que foi boa aluna. E depois, por algum tempo, uma ótima profissional da área.

Há 15 anos integra a banda Pato Fu, cantando, compondo e tocando. Lançou nove CDs, três DVDs e viajou muito por aí por causa da música e por gostar de passear mesmo. É do tipo que pede pra tirar foto e ganhar autógrafo nos discos dos artistas favoritos. Já teve oportunidade de se encontrar e cantar com alguns de seus ídolos, mas o Paul McCartney ainda não deu retorno, como ela mesma faz questão de mencionar.