Foto: Divulgação

Maria Rita levou dois Grammys.

A cantora colombiana Shakira e a banda de reggaeton Calle 13, de Porto Rico, dominaram o 7.º Grammy Latino, realizado anteontem, na Madison Square Garden, em Nova York. Shakira confirmou o favoritismo de quem liderava as indicações, abocanhando quatro prêmios: os de gravação do ano e canção do ano, por La tortura, e os de álbum do ano e álbum vocal pop feminino por Fijación oral Vol. 1. Já os rapazes do Calle 13 ficaram com o troféu de revelação, desbancando a cantora brasileira Céu, que concorria na mesma categoria.

Por falar em brasileiros, eles concorriam em 11 das principais premiações da noite, entre compositores, intérpretes, produtores e engenheiros de som, mas, no final das contas, tiveram de se contentar mesmo com os prêmios na seção dedicada à música brasileira. Com exceção de Adriana Calcanhotto que, como Adriana Partimpim, ganhou em álbum infantil latino, com seu CD Adriana Partimpim – Show (Xuxa festa – Só para baixinhos Vol. 6, de Xuxa concorria na mesma categoria).

O músico Sérgio Mendes era a grande aposta brazuca em gravação do ano com Mas que nada, que teve participação do grupo gringo Black Eyed Peas. Só que ele disputava pau a pau com Shakira e, na queda de braço, a bela colombiana venceu. Mendes levou a melhor em álbum pop contemporâneo brasileiro, com o CD Timeless. Ainda nas disputas específicas em música brasileira, saíram ganhadores: Aline Barros & Cia, de Aline Barros, em álbum de música cristã em língua portuguesa; Hoje, dos Paralamas do Sucesso, em álbum de rock brasileiro; Universo ao meu redor, de Marisa Monte, em álbum de samba/pagode; Roberto Carlos, em álbum de música romântica; e Vida marvada, de Chitãozinho & Xororó, em álbum de música regional ou de raízes brasileiras. A cantora Maria Rita deixou a cerimônia carregando dois Grammys na mão: um de álbum de MPB, pelo CD Segundo; e outro de canção brasileira (Caminho das águas, de Rodrigo Maranhão, que ela gravou em seu novo disco).

Os amigos Chico Buarque, com o CD Carioca, e Ivan Lins, com Acariocando, concorriam ao Grammy Latino de álbum de cantor e compositor, mas foram vencidos por Como un campo de maíz, de Pablo Milanés. Vale lembrar que, no Grammy Latino de 2005, Ivan teve melhor sorte, pelo feito inédito: levou o prêmio de melhor álbum do ano, com o CD Cantando histórias. Foi o primeiro disco cantado em português a ganhar naquela categoria.

Roda Carioca, de Jovino Santos Neto, e Aystelum, de Ed Motta, perderam na categoria álbum de jazz latino, enquanto a Banda Mantiqueira e o saudoso Moacir Santos foram vencidos por Bebo Valdés, na disputa em álbum instrumental. A TNT exibirá a cerimônia no dia 10, à 0h30, e reprisa no dia 11, às 11h.