Às vésperas do Dia da Mulher, uma das maiores representantes femininas da música caipira/sertaneja recebe uma homenagem digna de sua importância para a música brasileira. Inezita Barroso é tema de uma exposição que reúne 54 caricaturas suas feitas especialmente para marcar aquele que seria seu aniversário de 95 anos e também celebrar o Dia da Mulher.

A iniciativa comemora também os seis meses de atividade do site Festanejo, que traz notícias e curiosidades destes estilos musicais. “Nosso portal iniciou na internet em outubro de 2019 e a proposta é de justamente não só dar notícias sobre o mundo sertanejo, com seus cantores e eventos, mas também sobre a história e raízes desse gênero que é o mais forte atualmente no Brasil”, explicou José Alberto Lovetro, o Jal.

Ele explicou o porquê da homenagem. “Nesse mês de março que é dedicado à mulher resolvemos homenagear essa figura especial da música caipira e raiz sertaneja que é Inezita Barroso”, contou. Ele, que também é presidente da Associação dos Cartunistas do Brasil, convocou seus parceiros para construir a homenagem.

Algumas das homenagens foram feitas por caricaturistas do Brasil, Colômbia, Macedônia e Portugal e tem até contribuição do Maurício de Souza, da Turma da Mônica.

“Fui ao programa Altas Horas, do Serginho Groisman para anunciar a exposição no programa do último sábado, onde ele também a homenageou, levando a Bruna Viola e a filha da Inezita, a Marta Barroso”, contou Jal à Tribuna.

Infelizmente para os curitibanos, a exposição acontece no Memorial da América Latina, em São Paulo, a partir do dia 11 de março.

Mas com o apoio do pessoal do Festanejo, trazemos algumas das imagens que estarão na exposição.

Outras podem ser conferidas aqui!

Referência

Com uma carreira consagrada, Inezita foi uma das primeiras mulheres a fazer história no cenário da música caipira. Em 1951, assinou com sua primeira gravadora e chegou a lançar cerca de 100 discos. O clássico “Marvada pinga” a lançou para o sucesso nacional. Comandou inúmeros programas de TV na Record, TV Tupi, até chegar à TV Cultura, onde apresentou o clássico “Viola, Minha Viola”.

Inezita morreu aos 90 anos, no dia 8 de março de 2015.