Possivelmente, todo mundo, algum dia, já teve vontade de eliminar alguém da família. Afinal, o ambiente de um lar, envolto nos pequenos dramas e divertimentos surgidos da convivência forçada, contém pressões que podem chegar ao nível do insuportável. Estas, por sinal, são apenas alguns dos elementos explorados no trabalho proposto pelo mineiro Grupo Espanca! Em Amores Surdos, peça que faz sua estréia nacional na Mostra Oficial do Festival de Teatro de Curitiba – Edição 2006.

O mergulho executado pelo coletivo cênico para narrar a história de uma família aparentemente comum (com pai, mãe e filhos) parte de situações bem corriqueiras. Atos como não dormir bem, esquecer as chaves de casa, preparar o café, deixar a torneira aberta e cuidar de um animal doméstico. No entanto, num mundo em que todas as histórias parecem já terem sido contadas, o grupo sugere que há mais a ver e sentir por trás de um quadro imperfeito feito de situações e de sentimentos. Quadro que o público acompanhará com lentes de aumento, já que é instalado no palco para acompanhar a ação. Mais um recurso utilizado pelo grupo ? que fez sucesso no FTC 2005 com Por Elise, vencedor do prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte no ano passado, na categoria de dramaturgia; e indicado ao Prêmio Shell (melhor texto e categoria especial) – com o propósito de pesquisar meios de atuação, dramaturgia e linguagem teatral que sejam cada vez mais representativos do tempo e do espaço em que vivemos.

Financiado pela Fundação Clóvis Salgado, Amores Surdos é o primeiro espetáculo da Mostra Oficial do FTC 2006 a ter os ingressos já esgotados. Ao todo, foram disponibilizados 200 ingressos para cada uma das três apresentações no palco do Guairão, marcadas para os dias 24, 25 e 26 de março, às 20h30.