Os escritores João José Reis, Flávio dos Santos Gomes e Marcos J. M. de Carvalho receberam o prêmio literário cubano Casa das Américas pela obra “O Alufá Rufino – Tráfico, escravidão e liberdade no Atlântico Negro”, na categoria literatura brasileira.

O livro traça a biografia de Rufino José Maria, um escravo que após a alforria tornou-se um líder espiritual, e, paralelamente, narra a história do Brasil em meados do século XIX.

Os argentinos Ignacio Apolo e Laura Gutman foram os vencedores da categoria teatro pela obra “O tao do sexo” (na tradução literal do espanhol), enquanto a também argentina Josefina Porcelli recebeu a distinção na categoria literatura infanto-juvenil com o romance “Meu irmão chegou de outro planeta em um dia de muito vento”.
 
A premiação acontece desde 1960 e tem entre suas principais categorias: ficção, conto, ensaio artístico-literário, literatura caribenha francófona, literatura indígena, literatura brasileira, sendo que nem todas são entregues anualmente. Nesta edição o júri foi liderado pelo autor uruguaio Eduardo Galeano.