Em foto de Nélio Rodrigues,
cena de “Sem Lugar”.

Sem Lugar

, a segunda incursão literária do grupo mineiro de dança 1.º Ato, entra em cartaz hoje em Curitiba, trazendo uma homenagem ao centenário de Carlos Drummond de Andrade e aos vinte anos de existência da companhia.

“O espetáculo nasceu de um convite do próprio neto do poeta, Pedro Drummond”, conta Suely Machado, diretora de Sem Lugar, e que vem desenvolvendo um trabalho de pesquisa corporal em Curitiba, a convite do Ateliê de Criação Teatral. A magnífica peça Cão Coisa e a Coisa Homem, por exemplo, teve preparação corporal do elenco sob sua responsabilidade.

Personagens frágeis, patéticos, solitários fazem de Sem Lugar um espetáculo denso, numa criação do ex-bailarino Tuca Pinheiro, que já havia assinado Beijo… nos olhos… na alma… na carne, inspirado na prosa de Nelson Rodrigues.

Agora, os versos são a inspiração. “A idéia não é retratar a obra de Drummond mas, inspirados na poesia dele, construir o nosso próprio poema”, observa Suely Machado. E lembra que, como é característico da história do grupo, o espetáculo tem impressas as contribuições de cada um dos dez bailarinos que integram o elenco.

Um poema, em especial, foi o ponto de partida de Sem Lugar. “Diamundo – 24 horas de informação na vida do jornaledor”, do livro As Impurezas do Branco. “Esta poesia reúne trechos de vários fatos que acontecem no mundo, numa espécie de colcha de retalhos e você começa a perceber que faz parte daquilo tudo”, diz Tuca, por sua vez.

O cenário é baseado no poema “Nova Moda”, que fala o quanto era chique, numa época no Rio de Janeiro, colocar areia da praia dentro dos prédios. No palco, a areia está presente em pequenas ilhas que, durante a movimentação, são espalhadas pelo chão. É também uma alusão às pedras de Drummond.

Também de Marco Paulo Rolla, os figurinos são atemporais.

A trilha musical reflete a fragmentação do espetáculo, trazendo composições do pernambucano Kiko Klaus, com referências ao maracatu e frevo. Sambas da Portela, música do grupo japonês Ico e das bandas inglesas Neat Katie e Cakie.

***

Em cartaz no Guairinha hoje e amanhã às 21h e no domingo às 19h. Ingressos a dez reais e amanhã a quinze.