Curumatara: de volta à floresta é um livro-jogo e apresenta uma aventura, cujo personagem principal é o próprio leitor, que pode decidir o que dizer e fazer a cada cena. Esse personagem é uma criança de dez a 12 anos, morador de uma cidade interiorana de porte médio, São Valêncio dos Oradores. Um belo dia, o leitor encontra o Curupira caído no meio da rua e é então que a aventura começa. O Curupira precisa retornar à mata e salvar os amigos-bichos das águas de uma represa e pede a ajuda do leitor. Juntos, eles conhecerão a cidade, sua organização, suas estruturas de poder, os meios de transporte, as principais diferenças entre a paisagem urbana e a rural.

Além de propiciar uma leitura divertida, esta aventura solo mostra-se como uma excelente forma de discutir e refletir alguns outros temas extraídos dos parâmetros curriculares nacionais de maneira ativa, participativa e cativante. O livro apresenta um encarte que ensina o leitor a se transformar no narrador da saga do Curumatara e reviver a aventura com seus colegas, algo que os educadores podem aproveitar em sala de aula, não só os conteúdos interdisciplinares, como também ajudar os alunos a desenvolver a narração, a cooperação, o respeito mútuo, a sociabilização, entre outras competências e atitudes.

Sobre os autores

Maria do Carmo Zanini: Natural de Sertãozinho – SP, formou-se em Ciências Biológicas pelo Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo. Sofre de um insistente apego à fantasia desde criança, aliada a uma compulsão quase obsessiva por tinta, papéis e, mais recentemente, processadores de texto. Traduziu ou preparou inúmeros títulos para a Devir Livraria. É autora ou co-autora de histórias interativas, tanto recreativas quanto paradidáticas. Sócia fundadora da Ong Ludus Culturalis, ajudou a organizar todas as edições do Simpósio RPG & Educação.

José Roberto Zanchetta: Paulistano da Mooca, cursa Tecnologia na Fatec-SP. Aficionado por RPG desde garoto, tem extrema facilidade para adaptar qualquer situação da vida real às regras da narração interativa. Sócio ativo da Ong Ludus Culturalis, participou como narrador de todas as edições do Simpósio RPG & Educação.

Texto da quarta-capa do livro, que talvez possa esclarecer alguns outros pontos: Ouvimos dizer que Curumatara significa "menino viajante" na língua tupi. Nossa história tem um menino muito arteiro, um personagem famoso do folclore nacional.

Ele tem uma missão importante e uma viagem complicada pela frente, desde o centro da cidade de São Valêncio dos Oradores até a matinha onde ele costumava morar. Nosso menino viajante está pedindo ajuda para encarar essa jornada. Sabe para quem? Para você! É, você também vai ser personagem deste livro. Vai enfrentar desafios na cidade, no campo e no mato. Vai usar tudo o que aprendeu na escola para levar o tal menino de volta à floresta. Vai decidir para que lado a história irá seguir e até escolher o final. E Curumatara tem vários finais. Se você não gostar de um deles, é só recomeçar a leitura e escolher outro.

E depois de viver essa aventura como personagem, você vai descobrir que também é muito divertido ser o Narrador, a voz que conta a história. Aí será a sua vez de convidar os amigos para levarem o Curumatara de volta à floresta.

 Estrutura: Curumatara de volta à floresta.
14 x 21,0 cm, 208 páginas, Capa Supremo 250g, 4 cores.
Autores: Maria do Carmo Zanini e José Roberto Zanchetta.
Ilustrador: Ivan Nunes.
Informações: telefone (11) 33475700 ou www.devir.com.br.