Arte, fotografia e jornalismo se unem na mais importante exposição mundial de fotojornalismo promovida pela organização independente sem fins lucrativos World Press Photo, que premia a cada ano as melhores imagens publicadas na imprensa internacional. A mostra – que já correu 85 cidades pelo mundo e foi vista por mais de dois milhões de pessoas – chega a Curitiba no dia 2 de março e fica em exibição na Sala de eventos do UnicenP até 29 do mesmo mês. Em Curitiba, o WPP conta com patrocínio do UnicenP, da Positivo Informática e da Volvo, co-patrocínio da Vivo e apoio da RPC e do Consulado da Holanda.

Multifacetada, a exposição pode ser vista como uma retrospectiva dos fatos marcantes de 2005, um recorte da beleza e da miséria humana ou mesmo como um guia do que há de melhor em fotojornalismo. Trata-se de um trabalho que permite o público refletir a potencialidade artística do fotojornalismo, assim como perceber a função da imprensa e da imagem como um catalisador de denúncias e de mudanças.

Serão exibidas 205 fotos em 108 quadros. Fundada em 1955, em Amsterdã, a World Press Photo abre as inscrições anualmente para fotógrafos interessados em participar da principal competição internacional em imprensa fotográfica. Para esta edição, 4.448 fotógrafos de 122 países inscreveram um total de 83.044 imagens, batendo o recorde de profissionais participantes em relação às edições anteriores. No Brasil, a mostra é uma realização da produtora Desiderata e da ELS2 Comunicação.

Um júri internacional – composto por 13 profissionais reconhecidos internacionalmente na área – avaliou as imagens na capital holandesa entre 28 de janeiro e 9 de fevereiro de 2006. As fotos selecionadas foram classificadas em dez categorias: Notícias (categoria single), Notícias (série de fotos), Pessoas e Notícias (categoria single), Pessoas e Notícias (série de fotos), Natureza, Esportes e Ação, Esportes em Geral, Artes e Entretenimento, Cotidiano e Questões Contemporâneas. 

Segundo a jornalista Martha Mamede Batalha, diretora da produtora cultural Desiderata, trazer esta mostra para o Brasil é a oportunidade de o público repensar a relação entre jornalismo e arte e também refletir sobre a missão da imagem como ferramenta de denúncia. ?Esta exposição faz parte do calendário cultural de cerca de 80 cidades do mundo, e Curitiba não poderia ficar de fora?,  pondera Martha.

O júri internacional da 49° edição anual da mostra World Press Photo elegeu a imagem do fotógrafo canadense da Reuters, Finbarr O´Reilly, para receber o prêmio World Press Photo do ano.  A foto exibe os dedos de uma criança nigeriana desnutrida, de apenas um ano, pressionando os lábios de sua mãe.  A devastação causada por gafanhotos e a pior seca das últimas décadas deixaram milhões de habitantes desnutridos na África. A foto foi tirada em Tahoua, no noroeste da Nigéria, em agosto de 2005 e chocou o mundo.

Para o presidente do júri, James Colton, a foto de O´Reilly conseguiu emocioná-lo desde o instante em que a viu pela primeira vez, duas semanas antes da premiação: ?Aquela foto ficou na minha cabeça, mesmo depois de ter visto milhares de outras imagens semelhantes durante a competição. Essa foto tem tudo ? beleza, horror e desespero. Ela é simples, elegante e nos sensibiliza?, comentou.