A Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga a exploração sexual de crianças e adolescentes vai votar um requerimento para ouvir Xuxa. O deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), autor do pedido, argumenta que a apresentadora prestou um testemunho impactante no Fantástico e que a presença dela na CPI será uma contribuição importante para a comissão. Na mídia social a apresentadora já disse que não falará mais sobre o assunto.

Em entrevista ao programa da Globo, no domingo, Xuxa revelou que foi vítima de violência até os 13 anos (1976). Caso ela oficializasse a acusação de estupro, o crime teria prescrito em 1992.

Surpresa pra família

A filha de Xuxa, Sasha, foi avisada com antecedência sobre a entrevista ao Fantástico e sobre o abuso sofrido pela mãe. Pessoas próximas ao ator Luciano Szafir, pai de Sasha, garantem que ele ficou abalado com a revelações da ex. Já o irmão da apresentadora, Blad Meneghel, revelou que a família não tinha conhecimento do abuso sexual relatado por ela.

“A entrevista nos pegou de surpresa. Não sei por que ela decidiu contar, mas foi um ato de coragem. Ela deve ter falado para servir de alerta para que as crianças que sofrerem abuso denunciem”, disse Blad. Dois dias após a entrevista as declarações de Xuxa ainda repercutem. Muita gente expressou apoio a apresentadora. Entre elas Monique Evans, que já declarou ter sido abusada sexualmente aos 14 anos e a ex-paquita Andréia Sorvetão foi às lágrimas com o depoimento. “Tive vontade de pegá-la no colo”, disse Andréia.