A nota enviada anteriormente estava com o título incompleto. Segue texto corrigido.

Em abril de 1965, os alunos da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo sabiam da novidade por meio de cartazes espalhados pelo câmpus: “O Tuca vem aí”. Era o teatro universitário que nascia e a peça escolhida para a estreia foi Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto. Além de escrito por um brasileiro, o texto tratava de um tema atual, o que agradava ao anseio dos estudantes.

A montagem envolveu a participação de alunos de várias áreas, como geografia, direito, letras e psicologia. No dia 11 de setembro de 1965, o Auditório Tibiriçá foi inaugurado com a peça.

Com o acirramento da ditadura militar, o Tuca tornou-se ponto de encontro de manifestações artísticas, especialmente de shows e peças que contestavam o regime. Em 22 de setembro de 1977, cerca de 900 policiais invadiram o câmpus da PUC para reprimir uma manifestação de cerca de 2 mil estudantes, que estavam diante do Tuca. Quase mil deles foram detidos.

Em 1984, o teatro sofreu dois incêndios, que o destruíram quase completamente. Reaberto em 1986, funcionou em condições precárias até 2002, quando foi fechado. Reconstruído, reabriu em agosto de 2003. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.