No dia 13 de maio, na Igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos homens Pretos da Penha de França , às 17h, a Sinfonieta dos Devotos de Nossa Senhora dos Prazeres apresentará obras de compositores do Brasil colonial ao século XX; Pesquisa resgatou partituras, algumas executadas uma única vez.

Em comemoração ao dia da Abolição da Escravatura, 13 de maio, o projeto ?Os mestres mulatos?, criado pelo maestro Marcelo Antunes Martins preparou um repertório que apresenta uma amostragem do resultado da compilação de partituras recuperadas dos primórdios da nossa música.

A música executada por músicos escravos nas missas dominicais nas igrejas foi resgatada. Além das composições serem assinadas por negros e mulatos da época, escravos vendidos de forma diferenciada devido a sua habilidade musical, as orquestras que executavam as obras também eram formadas por negros e mulatos.

?Eles impregnavam uma alegria insuportavelmente latente às suas origens, desnecessária para a igreja que queria algo mais comportado?, observa o maestro, que não escolheu por acaso o nome da sua orquestra de Sinfonieta dos Devotos de Nossa Senhora dos Prazeres. ?Faz duplo-sentido com esse sentimento dos mestres mulatos que transgrediam para embutir um pouco da sua alma na composição e na interpretação?, afirma o maestro. Além de tocar nas igrejas, eles participavam das apresentações nas casas de ópera da época?, acrescentou.