A Galeria da Caixa apresenta, a partir de hoje, a sua Coletiva de Maio, reunindo as mostras de gravuras Rodilhando de Vera Andrade, e Outras Impressões de Hebe Libera. As duas artistas tomaram conhecimento técnica através do Atelier Permanente de Gravura da UFPR sob orientação de Dulce Osinski e Ricardo Carneiro.

Na mostra Rodilhando, Vera realiza seus trabalhos gravando em metal, a partir de pesquisas feitas com rodilhas, pano torcido que se usa para carregar lata d’água na cabeça. São essas imagens trabalhadas e transpostas para o metal que ela apresentará.

De acordo com Dulce Osinski, uma das principais característica do trabalho de Vera Andrade é seu espírito de inquietação e pesquisa. Dulce lembra que a gravura em metal é um meio bastante fértil, que possibilita muitas alternativas neste sentido.

No caso de Hebe Libera, artista que está radicada em Curitiba desde 1972, o material utilizado nas matrizes é o plástico canelado, proveniente da manufatura industrial. Em suas obras, o sinal deixado pelas linhas paralelas, que remete à geometria, é cruzado e alterado, criando um contraponto na imagem.

Segundo Dulce Osinski, a marca registrada do trabalho de Hebe está no diálogo muito forte com o espaço. “Ela trabalha não apenas o espaço em si da obra, mas, por ser arquiteta, também dialoga bem com o espaço arquitetônico”, acrescenta Osinski.

Serviço: “Rodilhando” de Vera Andrade e “Outras Impressões” de Hebe Libera. Abertura é hoje às 19h30, na Galeria da Caixa (Rua Conselheiro Laurindo, 280). Até o dia 11/06, de 2.ª a 6.ª.