Claudia Leitte extravasou. Usou e abusou das oportunidades que teve fora do palco este ano. Apresentou, ainda grávida de Rafael, o “Superbonita’, do GNT, no lugar de Luana Piovani, e não hesitou em abrir mão da licença-maternidade. Um mês após dar à luz seu segundo filho, estava no The Voice Brasil, na Globo, linda, loura e magra, como a única mulher do júri ao lado de Daniel, Lulu Santos e Carlinhos Brown.

E o balanço de sua participação é mais do que positivo: “Quando fui convidada por Boninho (diretor) em março, coincidentemente tinha voltado das férias na Califórnia, Estados Unidos, e assistido ao programa de lá. Achei fantástico, mas minha expectativa era de que o daqui seria bem melhor, porque o brasileiro é mais musical. Embora a gente não tenha tanto acesso à arte e à cultura como eles têm, conseguimos criar com maestria, temos música de muita qualidade. A prova é que o programa reuniu isso. Eu recebi esse sucesso com muito amor e certa de que ia acontecer”.

Claudia encarou o desafio de julgar, mas no decorrer da atração, acabou sendo julgada por “pegar leve’ na avaliação dos participantes. “Eu fui rígida, sim. Exigi deles o que sabia que podiam ter, fiz o que tinha que ser feito e acredito que foi na medida certa. Meu time era recheado de artistas de verdade, gente que foi para lá sabendo que queria alguma coisa para agora, e não para ontem. O que todo mundo chama de calouros eu chamo de profissionais”, defende-se.

Versão 2013

A segunda temporada do The Voice Brasil já está garantida. E no que depender da direção, os jurados continuam os mesmos, se a agenda deles permitirem. E mais. O reality deve passar de três para seis meses no ar no ano que vem.