Cirque du Soleil, montagem a todo vapor

A montagem das cinco tendas que abrigarão a equipe do espetáculo Alegria, do Cirque du Soleil, no estacionamento do Centro de Convenções Expotrade, em Pinhais (Região Metropolitana de Curitiba), já está a todo vapor. A chamada ?Big Top? (grande tenda), onde estará o palco e o público (com 2.500 lugares), foi montada ontem pela manhã por cerca de 50 pessoas.

As outras, que abrigarão a recepção e o local onde os artistas ficarão durante a apresentação, estão sendo construídas e tudo deve ficar pronto em cima da hora do primeiro espetáculo, no dia 14.

Ao compreender a mega-estrutura do Cirque, é possível imaginar a emoção que o público terá ao ver Alegria: são 170 pessoas (entre artistas e seus familiares e o grupo de produção) e 800 toneladas de equipamentos que serão utilizados nos shows, escritórios, cozinhas, banheiros, lavanderia, camarins e até uma escola para as crianças (artistas e filhos dos artistas). Os artistas, de 14 nacionalidades (incluindo um brasileiro) ainda não chegaram a Curitiba, estão descansando após a turnê pela Espanha. Na capital, eles vão dormir em hotéis e chegam às tendas cerca de cinco horas antes do espetáculo. Dois fisioterapeutas estão sempre à disposição, mas a maquiagem são eles mesmos que fazem. Na lavanderia, a lavagem e a secagem muito rápida dos figurinos funcionará o dia todo. Na tenda, durante o espetáculo, eles podem ver o show, ao vivo, por uma TV. Desta forma, explicam os produtores, ficam mais atentos à hora que têm que entrar em cena.

Sobre a escolha do Expotrade, a coordenadora da transferência da estrutura do Cirque, Mirian Ter Boek, explicou que se deve ao tamanho do local e à estratégia de marketing de torná-lo mais visível. O trabalho dura o ano todo. ?No começo do ano nós levamos toda a estrutura a Montreal, no Canadá, e trouxemos de navio para cá?, explicou Mirian. O local possui 20 mil metros quadrados. O Cirque possui técnicos próprios, mas parte da equipe foi contratada em Curitiba.

Um deles é Irapuã Pires, que está coordenando a equipe local e também viajará com o Cirque para as outras cidades brasileiras incluídas na turnê (Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre, nesta ordem). ?É um gigantesco quebra-cabeça que tem um sistema muito delicado de montagem e desmontagem?, disse.

Voltar ao topo