Divulgação
Divulgação

O espetáculo Trapiche tem
início no dia 25.

A Cia. Oito Nova Dança será a atração do Teatro da Caixa Cultural de Curitiba nos dias 25, 26 e 27 de abril, apresentando ?Trapiche – Um olhar contemporâneo para a memória de um povo?. O trabalho envolve espetáculo de dança, exposição de fotos, exibição de vídeo e uma oficina.

?Trapiche? nasceu como uma das ações sócio-culturais do Projeto Marujá, realizado pela Cia. Oito Nova Dança na Ilha do Cardoso (litoral sul de São Paulo). O projeto pesquisou o risco de extinção de tradições orais, arquitetônicas, musicais e de danças da região. Depois de 18 meses de estudo, o trabalho resultou na coreografia de ?Trapiche?, que tem como mote principal a memória, promovendo, a cada encenação, um diálogo intercultural que evoca preservação e transformação.

Na Ilha do Cardoso, trapiche é o lugar de chegada e de partida de pessoas, coisas e informações. Para a Cia. Oito Nova Dança, ele representa uma metáfora cênica integradora dos espaços da memória social que, fazendo valer sensibilidades estéticas, entra plasticamente nos universos erudito/popular e tradicional/contemporâneo.

A criadora e diretora da Cia. Oito, Lu Favoreto, explica que, paralelamente ao projeto desenvolvido na comunidade do Marujá, o grupo ia se apaixonando pelo Fandango. ?Fomos descobrindo sua poesia e sua força enquanto expressão de um povo, relacionada à realização de trabalho conjunto/mutirão e à celebração/pagamento deste encontro, que envolve dança e música características. A dança de casal nos trouxe o contato corporal, e a música ao vivo, com o batido, nos estimulou a olhar para a intersecção entre o músico e o dançarino, o som e o movimento, motes da nossa pesquisa?, completa ela.

Já Valéria Cano Bravo, que é responsável pela orientação antropológica e dramatúrgica do trabalho, salienta que o ?Trapiche? associa-se a várias outras atividades ?que procuram estimular o pensar, o entrar em contato com o material captado; dançar, falar e sentir questões do homem contemporâneo e suas relações com o meio, com sistemas políticos culturais e, principalmente, aguçar nossa sensibilidade para as questões da memória e preservação?.

Exposição de fotos, apresentação de vídeo e oficina de dança

Uma hora antes de cada espetáculo, a Cia Oito Nova Dança apresenta um vídeo com imagens da pesquisa de campo. Paralelamente, no hall do Teatro Caixa estarão expostas 38 imagens do fotógrafo José Romero, apresentando o processo criativo Trapiche.

No sábado, dia 26, às 17 horas, será realizada a oficina ?Processo de criação Cia Oito Nova Dança ? Trapiche?. Com 30 vagas, ela é voltada a dançarinos, atores, performers, músicos e demais pessoas interessadas na dança e música como meio de expressão. A oficina é gratuita, tendo 30 vagas à disposição dos interessados. As inscrições devem ser feitas pelo fone 2118-5233.

A Cia. Oito

Criada e dirigida por Lu Favoreto em 2000, a Cia. Oito tem como elemento primordial de investigação a relação entre estrutura corporal, movimento vivenciado e obra cênica. Para processar tal investigação a Cia. adota uma abordagem corporal que tem como princípio técnicas somáticas fundamentadas, principalmente, nos métodos de Klauss Vianna e da fisioterapeuta francesa Marie Madeleine Bézier.

Em 2000, a Cia. Oito com o trabalho solo de Lu Favoreto ?Folhas secas flores prateadas?, foi selecionada no Projeto Rumos Dança Itaú Cultural e também premiada com a Bolsa de Pesquisa Rede Stagium.  Com o projeto coreográfico ?Modos de ver? a Cia. Oito recebeu o Prêmio Estímulo de Dança 2000 de auxílio à montagem para projetos inéditos da Secretaria Estadual de Cultura do Governo do Estado de São Paulo e o Prêmio APCA/2001, na categoria Pesquisa de Linguagem. Em 2002 ?Modos de ver? recebeu Prêmio EnCena ? Funarte. Em 2003 a Companhia foi selecionada pelo Programa Petrobrás Artes Cênicas para montagem do ?Trapiche?, parte integrante do Projeto Marujá. Recebeu Prêmio Estímulo em Dança do CCSP/2004 com o Projeto Coreográfico ?Compêndio para velhice?, peça solo de Lu Favoreto.

Serviço:
Espetáculo: "Trapiche – Um olhar contemporâneo para a memória de um povo", da Cia. Oito Nova Dança
Local: Teatro da Caixa
Data: 25 a 27/04/2008
Horários: 21h (sexta e sábado) e 19h (domingo)
Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Edifício Sede II
Recepção: 2118-5111
Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00 (clientes, idosos e estudantes)
Classificação etária: Livre