A cerimônia de entrega do Prêmio APCA, já em sua 56.ª edição, transcorria tranquilamente na noite de terça-feira, 13, no Sesc Pinheiros, em São Paulo, até que os apresentadores Márcia Cabrita e Tuca Andrade chamaram Cauby Peixoto ao palco.

A plateia tiete se agitou, levantou, aplaudiu e gritou, e o vencedor do Grande Prêmio da Crítica na categoria música popular agradeceu cantando Bastidores, de Chico Buarque. Quando ao final da palinha vieram lhe perguntar se ele queria dizer algumas palavras, ele pediu um beijo da mensageira e respondeu: “Eu já falei um pouquinho. Não tenho o hábito de falar, então cantei. Eu gosto é de cantar”.

Na sequência, Dori Caymmi, autor de Poesia Musicada, o melhor disco de 2011 segundo a Associação Paulista dos Críticos de Artes, agradeceu preocupado com a reação que sua irmã Nana Caymmi poderia ter. “Eu gostaria de saber se já deram esse prêmio à Nana porque se não deram vou ter problemas”, brincou.

Outro momento de descontração foi protagonizado pelos gaúchos Hique Gomez e Nico Nicolaiewsky, do espetáculo Tangos e Tragédias, em cartaz há 27 anos e finalmente premiado. “É bom saber que agora ele está melhor”, disse Gomez. Tímido, Criolo, dedicou o prêmio de Revelação a Cassiano Sena, seu parceiro há mais de uma década.

A APCA já havia anunciado, em dezembro, os melhores artistas de 2011 nas 11 categorias e também Renata de Almeida, diretora da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, como a vencedora do prêmio especial. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.