Aos 74 anos, o mestre da guitarra Buddy Guy continua se superando. O novo álbum de inéditas do músico, “Living Proof”, lançado recentemente, apresenta o artista em sua melhor forma, com impressionantes solos de guitarras em canções que não soam datadas nem requentadas. Nessa idade, qualquer astro desse porte poderia se dar ao luxo de aproveitar uma confortável aposentadoria. Mas com Buddy Guy isso não acontece. Ele se mantém na ativa e suas canções também mantém o frescor – e parecem ter sido transportadas diretamente da década de 50. Ao mesmo tempo, temos a impressão de que estamos ouvindo algo totalmente novo.

A própria canção de abertura, batizada com o sugestivo título de “74 Years Young” (na tradução livre: Jovem de 74 anos), Guy canta em inglês “Eu sou um jovem de 74 anos e não tem nada que eu ainda não tenha feito”. A canção traz os característicos solos de Buddy Guy introduzindo ao público o que se escutará nas próximas 11 faixas do álbum.

Participações especiais – B.B. King, de 85 anos, outro mestre, faz dueto com Guy na canção “Stay Around a Little Longer”. A faixa é uma das mais lentas do álbum, quase um lamento, mas nem por isso menos virtuosa do que as outras. Lá para o meio do disco, uma outra guitarra se destaca. O ouvinte mais atento perceberá que se trata de Carlos Santana. O guitarrista faz dueto com Guy em “Where The Blues Begin”, uma verdadeira ode ao blues.

Outros destaques, para aqueles que preferem um blues mais elétrico, são as canções “Thank me Someday”, “Too Soon”, “Let The Door Knob Hit Ya” e “Skanky”. Um show de virtuosismo sem fim. As informações são do Jornal da Tarde.