Será lançado hoje, em Florianópolis, o livro-catálogo Biografia de um Museu, que traz toda a história do Museu de Arte de Santa Catarina narrada com riqueza de detalhes e reproduções do acervo artístico. São 1.454 obras, sendo que as primeiras vinte, que fazem parte do acervo inicial do museu, têm destaque em reproduções fotográficas coloridas. Esta é a quinta publicação do gênero no País. Apenas outros quatro museus nacionais já foram brindados com um trabalho semelhante, que guarda em suas páginas todo o acervo do museu. Criado em 1949, o MASC nasceu da iniciativa do escritor carioca Marques Rebelo, que levou para Florianópolis uma exposição em que pontificaram Portinari, Djanira, Burle Marx, Segall, ao lado de artistas estrangeiros, como Leskochesk, Lurçat, Lèger e Dufy.

Romance de clã

A Devir está investindo, desde o mês passado, na publicação em português de romances de horror e romances de fantasia medieval, garantindo boas surpresas para o leitor. No Brasil, os paralelos deste estilo de literatura mais conhecidos são O Senhor dos Anéis, Harry Porter, Brumas de Avalon. Já está disponível o Romance do Clã Toreador – o primeiro dos treze livros de Vampiro – A Máscara, com 158 páginas.

A série de Vampiro – A Máscara envolve todos os clãs e vampiros importantes do Mundo da Trevas. Este primeiro lançado foi escrito por Stewart Wieck, co-criador de Mundo das Trevas. Dos treze clãs de vampiros, seres que manipulam secretamente os acontecimentos humanos, os do Clã Toreador são menosprezados. Eles aceitam isso como o preço que se tem de pagar para preservar o que é belo, em especial eles próprios.

A Devir reserva, ainda na linha de romance de horror, nove títulos para a “tribo novels” de Lobisomem Apocalipse.

Alentado lançamento

A Editora Contexto está lançando História da Cidadania, que reúne 24 autores, resultante de dois anos de pesquisa. É a primeira obra de referência sobre o tema no Brasil e no mundo. Com suas 592 páginas, com organização de Jaime Pinsky e Carla Bassanezi Pinsky e disponível nas livrarias a partir desta quinta-feira, o livro foi concebido para explicar a origem da noção de cidadania, as lutas por inclusão social ao longo da história até chegar na discussão de como ela é exercida hoje – momento no qual a globalização diminui os estados e também as distâncias entre as nações. De forma clara e com texto fluente, a obra mostra como o conceito moderno de cidadania foi uma lenta e sofrida construção que surgiu com o capitalismo e a formação dos estados nacionais e ganhou aperfeiçoamentos em quatro revoluções: Inglesa, Americana, Francesa e Industrial.

Dos primórdios à concepção moderna, o livro passa a discutir a luta de minorias, como mulheres, negros e índios, para ampliar sua participação na sociedade. Discute também temas que só apareceram há algumas décadas, como meio ambiente e terceiro setor, e hoje conquistaram um espaço indiscutível. A obra termina com o belíssimo conto “O nascimento de um cidadão”, de Moacyr Scliar.