A Bienal do Livro Rio entrou com pedido de mandado de segurança preventivo no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, nesta sexta-feira, 6, a fim de garantir o pleno funcionamento do evento e o direito dos expositores de comercializar obras literárias sobre as mais diversas temáticas – como prevê a legislação brasileira.

A decisão foi anunciada logo depois que fiscais da Secretaria de Ordem Pública estiveram na feira literária para recolher exemplares do livro “Vingadores – a Cruzada das Crianças”, uma história em quadrinhos que apresenta super-heróis gays e um beijo entre dois homens. A Prefeitura disse que a HQ infringia o Estatuto da Criança e do Adolescente – entendimento diferente do da OAB.

Consagrada como o maior evento literário do país, a Bienal do Livro mantém sua programação para o fim de semana, dando voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. “Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados.

Entre esta sexta e domingo, 8, – último dia de evento – a Bienal recebe autores, artistas, pensadores e acadêmicos do Brasil e exterior para participar de 39 painéis sobre os mais variados temas, como fake News, felicidade, ciências, maternidade, teatro, literatura trans, LGBTQA+ e muito mais”