Beyoncé falou, em entrevista para a revista Elle, sobre diversos aspectos delicados da sua vida, como os efeitos de abortos, a relação com os três filhos e os cuidados que ela toma com o corpo.

Perguntada sobre possíveis desapontamentos por não ter recebido prêmios após o álbum Lemonade e o documentário Homecoming, a cantora comentou que depois de ter sofrido alguns abortos e ter tido Blue Ivy, sua filha mais velha, ela passou a ver o sucesso de forma diferente.

“Ter tido abortos me ensinou que eu tinha que ser uma mãe para mim mesma antes de poder ser uma mãe para outra pessoa. Então, eu tive Blue sua filha, e a busca por propósito se tornou mais profunda. Eu morri e renasci em minha relação, e a busca por mim mesma tornou-se ainda mais forte. É difícil para mim ir para trás. Ser a número um não era mais minha prioridade. Minha verdadeira vitória é criar arte e um legado que irá viver além de mim. Isso é realizador”, comentou Beyoncé.

A cantora, que estampou a capa deste mês da edição canadense da revista Elle, também falou sobre seu corpo, e disse que seu eu do passado não teria acreditado se falassem para ela sobre as mudanças corporais pelas quais passaria, e que ela estaria se sentindo mais segura agora, com as novas curvas.

“Os filhos e maturidade me ensinaram a me valorizar para além da aparência física e a realmente entender que eu sou mais que o suficiente, não importa em qual estágio da vida eu esteja”, concluiu.

Beyoncé também revelou que a coisa que mais a estressa é tentar balancear a vida pessoal com o trabalho. Isso vai desde estar presente para seus filhos, ter encontros com o marido, o rapper Jay Z, e estar em casa para jantar com a família. E fazer tudo isso enquanto cuida de uma empresa pode ser, segundo Beyoncé, “desafiador”. “Equilibrar todos esses papéis pode ser estressante, mas eu acho que essa é a vida de uma mãe que trabalha”, relatou.