A divertida e dramática história de duas atrizes da “melhor idade”, que procuram sair do ostracismo com um musical, está na mostra Fringe do Festival de Teatro de Curitiba.

O espetáculo Jurassic miusicol uma montagem carioca, com co-produção de Adriana Birolli fica em cartaz até o próximo dia 28 com apresentações às 21h, no espaço cultural Era Só O Que Faltava.

Na peça, o público curitibano poderá conferir em primeira mão um thriller sobre as duas veteranas atrizes de teatro que conheceram a fama no passado e que agora vivem um reinado psicótico de terror uma sobre a outra. A peça, cujo texto é assinado pelo autor Xico Abreu -tem um humor sarcástico e uma divertida dramaticidade trágica.

Segundo o autor, que se mostra ansioso pela reação do público, o texto foi criado a partir de uma história real, inspirado em duas atrizes cinquentonas, amigas, que passavam por questionamentos pessoais e profissionais.

“Pode ser engraçado, irônico e, ao mesmo tempo, dolorido. A peça mostra conflitos que a maioria das pessoas passa, como o sentar e esperar e o empurrar o problema para o outro”, afirma.

A montagem cria uma caricatura das atrizes que estão em busca de montar algo, que nem mesmo elas sabem ao certo do que se trata. O espetáculo é ilustrado com apresentações de números que as personagens pretendem compor para o “show”.

Xico Abreu conta que o conflito e o engraçado começa pelo nome da peça, cuja grafia, propositadamente errada, revela uma sátira dos musicais da Broadway. As personagens são encenadas por dois jovens atores Jean Machado e Rodrigo Melgaço – que trazem ao palco o universo feminino preenchendo o estereótipo com autenticidade, retratando vidas reais recheadas de emoções.

“Eles realmente encarnam as personagens e usam desde calcinha a vestido. É um trabalho realmente sincero”, diz Abreu. De acordo com o autor da peça, a atuação de duas mulheres idosas para interpretar as personagens foi descartada, já que, segundo ele, seria mas seria difícil encaixar o sádico com a realidade que também seria das atrizes.

“Isso mexeria com o lado pessoal delas. Atrizes mais velhas não fazem parte de musicais, que geralmente contam com atrizes com menos de 30 anos”, explica. Abreu conta que enviou os dois atores aprovaram imediatamente a ideia. Após Curitiba, o espetáculo deverá seguir para São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. “É um humor diferente, que nasce de conflitos e vem para poder livrar e exorcizar nosso demônios e infernos, retratados pelas personagens”, afirma.

Sinopse

Anin é mãe e avó e vive a decadência e a solidão com Aram, em um camarim mofado e sem luz. Anin passa o tempo, prostrada numa cadeira, onde reclama sobre a vida e critica outros artistas.

Dita ordens e comandos a Aram, sua parceira que se desdobra para executar. Aram é submissa e esperançosa. Tem nos olhos brilhos intensos e exagerados de uma atriz velha de guerra que ainda sonha com o estrelato.

Em meio ao tédio e a reclamações, as duas investigam propostas e ensaiam coreografias e números com a intenção de levantar um repertório para algum dia o apresentarem a alguém.

Serviço

Jurassic miusicol. Todos os dias, às 21h, até 28 de março, no Era Só O Que Faltava (Av. Rep. Argentina, 1334). Ingressos: R$30,00 (inteira). Desconto de 50% para associados Porto Seguro. Pontos de venda: Bilheteria central do Festival, www.ingressorapido.com.br e no local. Informações: (41) 3342-0826.