O maestro argentino-israelense Daniel Barenboim, que atuou há poucos dias num concerto na cidade palestina de Ramallah, foi ameaçado de morte, levando a polícia de Jerusalém a reforçar sua segurança.

O regente, que tem defendido posições consideradas pró-palestinas e tentou se apresentar em Ramallah em março passado, sendo dissuadido pelas autoridades israelenses, está em Jerusalém para participar de um festival de música de câmara. “Não sou um político, não acho que tenho soluções para o conflito entre Israel e Palestina, tento apenas abrir os corações”, comentou Barenboim.