Experimentar o corpo é também experimentar a dor. Experimentar o crescimento, passando da infância à idade adulta, provoca a angústia da transformação, tão natural quanto conflituosa.

Partindo deste sentimento e inspirado no poema Canção amiga, de Carlos Drummond de Andrade, o Ballet de Londrina criou sua nova coreografia, trazendo no título um verso do poeta mineiro: Para acordar os homens e adormecer as crianças.

O novo balé traz momentos tranquilos como uma canção de ninar e outros tão vigorosos que despertam o público, alternando climas que perpassam a coreografia, que está entre as mais vibrantes já desenvolvidas pelo grupo.

O criador do espetáculo e atual secretário da Cultura de Londrina, Leonardo Ramos, enfatizou que a nova montagem é a mais complexa da trajetória do ballet que completa 16 anos em 2009.

“Para acordar os homens e adormecer as crianças forma um mosaico que paradoxalmente se desenvolve sem quebras, com cenas bem costuradas criando, ao final, uma obra fluente. Não há movimentos a mais ou menos, nem cenas que pareçam longas ou desnecessárias, há uma dinâmica que ‘acorda’ a platéia por sua concepção vibrante”, afirma Ramos.

Investindo na dança horizontal – que mantém os bailarinos no solo em instigantes eixos de equilíbrio – desenvolvida pelo ballet em seus dois últimos trabalhos (Romeu e Julieta e Decalque), o grupo chega ao ápice desta exploração coreográfica, numa jornada que o coloca entre as companhias nacionais que mais investem na pesquisa de linguagem continuada.

A contemporaneidade também está presente na trilha sonora, que é pontuada por um clima juvenil, e mantém o público em alto astral durante todo o espetáculo.

Serviço

Para acordar os homens e adormecer as crianças. Companhia Ballet de Londrina. Hoje e amanhã, às 20h30, no Teatro Ouro Verde, em Londrina.